Universo

Pílulas para o Silêncio (Parte CCXLIV)

Clauder Arcanjo Entre o Silêncio e Eros “... a desgraça é que foi levado à loucura por Eros, deus pagão, que quanto mais reprimido mais devasta...” (Italo Calvino, em O castelo dos destinos cruzados) Os braços abertos, a boca…

Reminiscências: Brasília em Livros

Wilson Bezerra de Moura Aos poucos revivemos fatos que se transformaram em notícias e estas em livros que, juntando-se de parcela em parcela, forma-se a história, até porque assim é feita a biografia da humanidade. Os pequenos…

Clauder Arcanjo. PÍLULAS PARA O SILÊNCIO (PARTE CCXLIII)

No colo do silêncio, não da solidão Aforismos devem ser picos, e aqueles que os ouvem devem ser homens grandes e altos. (Friedrich Nietzsche, em Assim falava Zaratustra) O pequeno Jonas subia em árvores; dizia que, do alto, se vê…

Reminiscências: Prefeito Francisco Mota

As figuras de destaque na história se revelam na conformidade de sua contribuição social, política ou econômica. Essas razões as tornam vivas na maioria de seus patrícios pelo desempenho que tiveram em vida. Francisco Vicente de Miranda…

Pílulas para o Silêncio (Parte CCXLII)

Noite longa de um dia longo Há menos sono no mundo agora, as noites são mais longas e mais longos os dias. (Stefan Zweig, em O mundo insone) Enquanto a cidade dorme, eu mastigo a minha insônia. Pedras incômodas, ferrugem nos…

PÍLULAS PARA O SILÊNCIO (PARTE CCXLI)

O silêncio no desassossego Teu silêncio exigiu que as minhas palavras cessassem. Desorientado, pus meus olhos nos teus, e eles eram mais silentes ainda. Decidi fazer barulho, mexendo nas gavetas, revolvendo nossos guardados, mas cada…

Wilson Bezerra de Moura: Reminiscências

Infelizmente, todos os acontecimentos, mesmo sendo tragédias, fazem parte da história. Ela registra tudo, porque tudo é frutos da ação humana e dela faz parte. Nas minhas pesquisas me deparei com acontecimento trágico na pessoa de família…

PÍLULAS PARA O SILÊNCIO (PARTE CCXXXIX)

Clauder Arcanjo Por um verso perdido Dormi, nos ventos. Quando acordei, não cri: tudo o que é bonito é absurdo — Deus estável. (Guimarães Rosa, em Grande sertão: veredas) O retrato antigo na parede marcada pelos anos. A mobília…

Wilson Bezerra de Moura: Francisco Trajano da Silva

Da década 1928 frutificou a profissão de odontologia na região mossoroense. O doutor Mauro Mota Soares, por sinal cheguei a conhecê-lo como dentista na Estrada de Ferro em Mossoró. Como dentista ele fez uma conferência apresentada e…