Sesap mantém vacinação entre jovens de 12 a 17 anos com ou sem comorbidades

Anvisa diz que "não existem evidências" que justifique a paralização da vacinação.

A Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sesap) esclarece que vai manter a deliberação tomada anteriormente em conjunto com os municípios e orienta a continuidade da vacinação contra a Covid-19 entre adolescentes de 12 a 17 anos, com ou sem comorbidades, no Rio Grande do Norte.

A Sesap diz ainda que irá aguardar um posicionamento da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), requisitado pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), a respeito de eventuais mudanças com relação à aplicação dos imunizantes nos menores de idade, como sinalizou o Ministério da Saúde.

 

ANVISA

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) divulgou na tarde desta quinta-feira (16) um comunicado dizendo que investiga o caso da morte de uma adolescente de 16 anos após aplicação da vacina da Pfizer, no entanto, diz que até o momento “não existem evidências que subsidiem ou demandem alterações nas condições aprovadas para a vacina”.

“A Anvisa já iniciou avaliação e a comunicação com outras autoridades públicas e adotará todas as ações necessárias para a rápida conclusão da investigação. Entretanto, com os dados disponíveis até o momento, não existem evidências que subsidiem ou demandem alterações nas condições aprovadas para a vacina. Além de estabelecer contato com as sociedades científicas, a fim de intensificar a identificação precoce dos casos de eventos adversos graves pós-vacinação de adolescentes, a Anvisa realizará reunião com a empresa Pfizer e os responsáveis pela investigação do caso no Estado e CIEVS Nacional para obter mais informações”, publicou a Anvisa.

“Com os dados disponíveis até o momento, não existem evidências que subsidiem ou demandem alterações da bula aprovada, destacadamente, quanto à indicação de uso da vacina da Pfizer na população entre 12 e 17 anos.” Informou ainda a Agência.

cialis fiyatcialis satış