Sérgio Oliveira

O ambiente nas contratações acalmou um pouco no cenário potiguar. Parece que os cartolas do Rio Grande do Norte resolveram emergir para tomar fôlego antes de mergulhar em mais uma série de reforços, quadro perfeitamente normal para o período. A situação que preocupa um pouco é acompanhar o noticiário e mais uma vez tomar conhecimento que alguns contratos são fechados com base apenas em vídeos enviados pelo próprio atleta ou pelo chamado empresário da bola. Essa é uma postura melindrosa, pois hoje, com os recursos tecnológicos disponíveis é muito fácil manipular imagens e deixá-las atraentes aos olhos de quem não tem uma informação complementar. E, neste caso, para descobrir o investimento equivocado somente com a prática de treinos e jogos, o prejuízo já estará posto. Muita calma nessa hora.

TRÂNSITO

Quando eu digo que é preciso, no mínimo, ser uma pessoa bem relacionada para ser dirigente de futebol, não jogo palavras ao vento ou, ocupo espaço para escrever. Veja o exemplo do Baraúnas que escolheu certo seu vice-presidente, o radialista Gilson Cardoso. Tem mostrado ter trânsito livre em diferentes setores e por isso, digamos assim, se transformou no “garoto-propaganda” do clube. Tem sido fundamental sua presença nesse início de trabalho.

MISSÃO
De volta à presidência do ABC, Judas Tadeu, que já levou o time a conquista de 9 títulos, terá uma dura missão pela frente, reconquistar espaço no cenário nacional depois do rebaixamento para a terceira divisão. E digo mais, se tiver oposição no ABC, é bom torcer contra o próprio clube, e eu explico. Se Judas Tadeu for o presidente do retorno à Série B, se eterniza no cargo. Quem viver, verá.

TORCENDO
Nada de acordo ou aliviar a situação, apenas torcendo que tudo se resolva. Foi assim que o ex-jogador Pelé reagiu quando procurado para falar sobre a penhora da Vila Belmiro, para quitar dívida do Santos com ele mesmo. Como disse outro dia, pode até ser ídolo e torcedor santista, mas, dinheiro e negócio são casos à parte. O amor acaba.

MURCHA
Uma verdadeira bola murcha estão jogando na Prefeitura de Mossoró. Pelo formato de uma investigação em andamento, parece que rolou uma bola pesada e ilegal em uma de suas secretarias. No futebol seria aquele time que marcou contra seu próprio gol para se beneficiar da famosa mala preta. Como cidadão, lamento e peço que se faça justiça punindo o “custemba”.

CORRUPÇÃO NO FUTEBOL

Mais um coronel desembarca em cargo no futebol brasileiro, com a eleição forçada do novo vice-presidente da CBF, Antônio Carlos Nunes, ou simplesmente, “Cel. Nunes”. Eleito e empossado na quarta-feira, depois de uma breve disputa judicial, já chegou dizendo que nunca viu corrupção no futebol brasileiro.
Certamente é um piadista ou, extremamente irônico. Em todo caso, exerce o direito de defender os seus, ou seja, para o comando da CBF, é um soldado leal, e melhor ainda, com patente de coronel. E, sobre modernizar a entidade e como avalia a atual gestão deu a seguinte e profunda resposta “vamos ver”. Assim, só me resta perguntar, Brasil, qual é o seu negócio?

JOGOU

Pelos resultados, parece que o presidente do Potiguar, Benjamim Machado, jogou certo quando ameaçou não participar do Campeonato Estadual, expondo para sua diretoria, colaboradores e devedores, a situação real do clube. Podemos dizer que, nesse momento, a principal jogada do time, fora de campo, foi dada por seu presidente. Acertou o ângulo e marcou um gol de placa. Situação pouco a pouco se ajustando.

CAIU no silêncio a pressão para o Coríntians de Caicó-RN dizer se vai ou não ao Estadual.

A FNF aproveitou para negociar com a empresa que fala em patrocínio dos caicoenses.

QUEM sabe, assim, todos terminem felizes para sempre.

FICO na torcida, não sei como, que a cidade de Caicó mantenha seu representante no campeonato.