Reflexões Teológicas: com Ricardo Alfredo

[email protected]

Etapa III

Nesta página, do nosso jornal, na coluna Reflexões Teológicas, estamos lançando uma sequência de comentários sobre o perdão. Será dividido em três etapas, sendo a terceira: “Dicas para a aprendizagem do perdão”. Convido-os a se deleitar no conhecimento e no bálsamo do Senhor.

DICAS PARA A APRENDIZAGEM DO PERDÃO

É inevitável a necessidade de conhecer  e saber na prática o conceito de Perdoar que estar inserido em diversos movimentos culturais e religiões. Visto que o perdão está ligado diretamente a cultura religiosa. Todavia, o melhor conceito para perdão é: reconhecer que alguém errou contra você, no entanto, optar em deixar o rancor de lado em relação a essa pessoa. O perdão é um ato de decisão no que se refere às questões internas que perturbam a paz de um indivíduo.

A coisa mais lógica a dizer sobre o perdão, é que o processo de aprendizagem pessoal é apenas um caminho de vários, que pode ajudar nesta trajetória de se autoconhecer e aprender a perdoar.

O tema perdão, parece fácil, mais na prática é muito difícil e complicado, até porque achamos em nosso coração, que perdoamos, porém, lá no cantinho da alma, fica aquela sombrinha de ressentimento.

Vamos as cinco dicas, que irão ajudá-lo a se conhecer, e vencer seu eu, no processo do perdão.

1- Faça uma limpeza na alma, meditado.

Comece lendo bons livros, escute uma boa música, sai para conversa com outros amigos, pare para meditar, leia a Bíblia, pois nela contém a presença do Espírito Santo que vai lhe consolar e lhe ensinar um caminho de paz interior.

Quando for perdoar alguém, seja consciente, saiba porque está perdoando. Só assim, o propósito de perdoar terá efeito. E por fim seja sincero, com você e com o outro. siga sempre a orientação bíblica: “A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira”. (Provérbios 15:1)

2- Tenha empatia

Veja a situação como se você fosse a outra pessoa. Se coloque no lugar dele ou dela, e busque entender seus motivos. E assim, será possível você enxergar o outro de vários aspectos.

Descubra qual a razão que o outro lhe magoou. E se faça a seguinte pergunta! será que o comportamento desastrado dessa pessoa não é apenas uma forma de se defender? Será que já sofreu muito e agora encontrou um meio de se defender?  e a partir dessas duas perguntas você pode chegar a conclusão de escolha.

Quase sempre o melhor caminho é da compaixão com o outro. Compaixão, sem rejeição ou tratando o outro como coitadinho, mais tratando o outro com dignidade e acima de tudo com amor.

E por fim, dê um tempo para as coisas se acalmarem. Espere o momento certo para tentar conversar. Todavia, se certifique que a pessoa está em condições de falar sobre o problema, ou seja, se estar calmo e consciente da necessidade de abandonar o irracional.

3- Libere as emoções

A consciência da liberdade é um fator fundamental para ter uma vida plena e saudável. Quando guardamos as emoções sem liberá-la, o corpo e a mente são afetados de forma complexa. e isso pode ter consequências graves e até a morte da alma em vida.

É sempre bom saber, que a não liberação das emoções podem afetar o sistema imunológico, o equilíbrio hormonal e a química do cérebro. é por isso que dentro das emoções a raiva em algumas pessoas é incontrolável. Ter raiva é normal, porém, é necessário liberar a raiva sem machucar ninguém. Entretanto, existem vários meios para liberar a emoção da raiva como: caminhada, esportes, assistir um bom filme, conversar com amigos e etc… Ainda podemos liberar nossas dores chorando, cantando, ou mesmo conversando com um psicólogo. e quando sozinho, faça uma leitura da Bíblia, nela estar o verdadeiro consolo para quem sofre.

por outro lado, as Sagradas Letras, A Bíblia, faz três tipos de menção, vejamos:

Recomenda as Sagradas Letras: “Irai-vos, e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira, nem deis lugar ao Diabo”. (Efésios 4:26-27)

Avisa as Sagradas Letras: “Quem facilmente se ira fará doidices; mas o homem discreto é paciente”. (Provérbios 14:17)

Doutrina as Sagradas Letras: “Deixa a ira, e abandona o furor; não te enfades, pois isso só leva à prática do mal”. (Salmos 37:8). E mesmo diante destes três conselhos, as sagradas letras, a bíblia, aconselha: “Evite a ira e rejeite a fúria; não se irrite: isso só leva ao mal”. (Sal 37:8)

4 – A ideia dos Limites

Crie limites e os estabeleça para sua vida, e suas relações.

Recomendação bíblica: Sabei isto, meus amados irmãos: “Todo homem seja pronto para ouvir, tardio para falar e tardio para se irar. Porque a ira do homem não opera a justiça de Deus”. (Tiago 1:19-20)

“Mas agora despojai-vos também de tudo isto: da ira, da cólera, da malícia, da maledicência, das palavras torpes da vossa boca”. (Colossenses 3:8)

5 – Perdoar e esquecer e deixa longe o sentimento.

É natural sofrer, todos sofrem de um modo ou de outro, o diferencial é como você planejou vencer as lutas.

diz as Sagradas Letras: torne-se sábio: “O tolo derrama toda a sua ira; mas o sábio a reprime e aplaca. A discrição do homem fá-lo tardio em irar-se; e sua glória está em esquecer ofensas”. (Provérbios 29:11).

Portanto, as emoções podem dificultar a convivência, porém, se faz necessário observar a recomendação do apóstolo Paulo, ou seja, observar a doutrina que ele expôs, sobre o perdão, quando afirmou: “Não se porta inconvenientemente, não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não suspeita mal; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta”. (1 Coríntios 13:5,7)

Deixe um comentário