Programa Justiça na Praça formaliza 70 matrimônios com participação de casais da região de Campo Grande

CAMPO GRANDE – Setenta casais formalizaram suas uniões, na noite da última sexta-feira,11, no casamento comunitário promovido pelo Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte (TJRN) na Comarca de Campo Grande, por meio do programa Justiça na Praça.

O matrimônio coletivo foi o segundo realizado pelo TJRN no município e ocorreu na Praça Coronel Pompeu Jácome, com participação de casais também dos municípios de Triunfo Potiguar e Paraú, além dos padrinhos, familiares, amigos e os moradores de Campo Grande.
A juíza Fátima Soares celebrou a união dos nubentes presentes. Ela parabenizou a população local pela presença na celebração, especialmente aos noivos, familiares, amigos.

“Quero aqui saudar os noivos, familiares, amigos que estão aqui irmanados em um só espírito de amor, paz e harmonia, comungando com todos os presentes para este momento que é tão importante na vida da família campo-grandense”, disse a magistrada.
O prefeito de Campo Grande, Francisco das Chagas Eufrásio Vieira de Melo, “Bibi de Nenca” (PMDB), agradeceu à juíza Fátima Soares pela promoção do evento que beneficia o povo carente da cidade.

“Este momento é muito especial porque ele consagra a união de muitos casais e acontece pelo segundo ano consecutivo. É uma noite de união, companheirismo e comprometimento. Que este amor que se consagra nesta noite possa se estender por muitos anos e que venham, desta união belíssima, os frutos que são as crianças. Que falte tudo, só não falte amor!”, destacou.

Oficialização muda vida de casais beneficiados

O casal Eliomar Costa, de 32 anos e Izete Costa, de 33 anos, se mostrava feliz com o novo estado civil. Ele, autônomo; ela, doméstica. Após três anos de união estável viram se realizar o sonho do matrimônio.

Ainda sem filhos, o casal de Campo Grande disse que agora partirá para a realização dessa nova meta. “Eu soube que ia ter o casamento quando fui à casa lotérica e vi em um cartaz. É uma iniciativa muito boa para nós que não temos condições de pagar para casar. A Justiça está de parabéns”, parabenizou.

O marítimo aposentado Damião Matias aproveitou o evento para selar os 13 anos de união com a dona de casa Miscilene Fernandes. O casal, que é de Paraú, já tem um filho de 13 anos e se mostrava feliz com a realização do casamento civil. “É muito bom. E isso [casar] eu tinha que fazer de todo jeito, não é verdade? Então, eu agradeço a oportunidade que recebemos”, comentou Damião. Ele foi avisado sobre a realização do casamento no Cartório da sua cidade e disse que tudo foi providenciado de forma gratuita, até o trasporte para Campo Grande. “É uma maravilha porque o que você economiza já dá para uma feira”, comemorou.

Juntos há três anos, o casal José Maria Batista, de 22 anos e Leiliane Batista, de 16 anos, apesar de bastante jovens, demostravam bastante seriedade, maturidade e determinação no que disseram que acreditam: na família. O que une o casal, segundo José Maria, é o amor e a vontade de vencer na vida. Souberam, por amigos, na cidade onde moram, em Triunfo Potiguar, que haveria um casamento gratuito e aproveitaram a oportunidade. “Um evento como este é bom, principalmente para nós, que não temos como pagar, porque podemos economizar e usar em outras coisas”, comentou.

“Nós só pudemos realizar esse sonho porque temos uma juíza que nos provoca para fazer o bem estar do povo. Ela nos convidou e nos encorajou para juntarmos as três cidades para realizar, de forma coletiva, este evento”, destacou o secretário de Desenvolvimento Social de Campo Grande, Márcio Jean.