POESIA – Fátima Feitosa

FÁTIMA FEITOSA é filha de agricultores, casada com Fernandes Oliveira, mãe de Louise Fernandes e Fernandes Filho. Pedagoga aposentada, escritora e psicanalista. Vice presidente da Comissão Mossoroense de Folclore (COMFOLC) e presidente da Academia Campo-grandense de Letras e Artes/Campo Grande (ACLA/CG). É autora dos livros “À Flor da Pele” (poesias) e “Presa Dentro de Mim” (prosa) e idealizadora do projeto “Um Pé de Esperança”, a ser estreado pós-pandemia.

Contato: [email protected]

 

MINHA INFÂNCIA

Hoje são apenas ruínas
Amontoadas ao lado de uma serra
Mas já foi casa e abrigou meu eu menina
Este foi meu chão pisado, minha terra.

Ainda vejo o juazeiro frondoso
O que abrigava meus segredos
Quando subia ao seu topo…
Recheada com meus medos.

Admiro também a bela serra
Em contraste com o céu azul
Onde minha imaginação voava solta
Olhando-a. Mas viajando norte a sul.

 

                                                                                                 DANÇAR

Antes que as cortinas se fechem
Me deixe dançar saboreando a vida
Na delícia desta brisa no rosto
Ouvindo o som do mar.

Antes que o espetáculo se acabe
Me deixe, livremente, correr…
Ao encontro da felicidade plena
Com o meu desejo e o meu querer.

Antes que as pálpebras descansem
Me deixe amar, amar, amar…
A tudo e a todos, indistintamente
Viver é dádiva, me deixe cantar.

Cantar as alegrias de uma vida inteira
Aprendendo com a doida dor…
A ser melhor, a ser humano
Viver é ser do amor, um semeador.

Me deixe cantar, amar, viver plenamente…

 

LOUCURA

Transformo cada lágrima caída
Rolando a minha face nua…
Em palavras vivas, pulsantes
Em minha verdade, crua.

Transformo cada dor, doída
Que esmaga meu coração…
Em palavras latejante, carne viva
Em alegria, felicidade e emoção.

Transformo cada ferida aberta
Cujo remédio não há, nem cura…
Em palavras de fé, curadora
Nesta minha doce loucura.