PARALÍMPICOS – COIDADINHOS NÃO

TOQUE ESPORTIVO POR SÉRGIO OLIVEIRA

Sejam eles amputados (braços ou pernas), deficientes visuais, cadeirantes enfim, independentemente da situação, são todos atletas e é assim que querem ser vistos e tratados. A descrição diz respeito às pessoas que participam dos Jogos Paralímpicos e, durante as disputas recentes em Tóquio, um dos atletas veio a pública fazer exatamente esse pedido. Eles não querem ser tratados, disse o rapaz, como coitadinhos e sim na condição de atletas. E é isso mesmo que todos são, atletas competindo em alto nível. Se alguém quer relacionar ao jogo da vida, não precisa perder tempo pois todos eles são vitoriosos. Venceram as adversidades e são exemplos para nós, ditos “normais” que as vezes perdemos tempo reclamando de um simples machucado que pode ser curado em poucos dias. A deficiência dessa turma no momento em que estamos acompanhando eles em ação nas diferentes modalidades esportivas, parece até não existir. A postura em campo, quadra ou piscina, não diferencia em nada em comparação aos jogos anteriores com os atletas, repito, ditos “normais”. É muito talento e medalha de ouro para todos eles no quesito superação. Então, além de olhar para todos eles naquilo que são de verdade, ATLETAS em letras maiúsculas, vamos olhar também como bons exemplos a serem seguidos e parar um pouco, ou definitivamente, de reclamar dos pequenos percalços que encontramos ao longo das nossas vidas. Como bem disse o poeta – Viver e não ter a vergonha de ser feliz.

POTIGUAR, UMA NOVA ERA

Depois de não vingar o projeto da Vila do Príncipe no bairro Sumaré, tiveram problemas com a perfuração do poço que deu água misturada com óleo, a diretoria da Associação Cultural e Desportiva Potiguar, em Mossoró, resolveu fazer nova tentativa. O novo espaço agora, de excelente localização, as margens da Avenida Dis-Neuf Rosado, a conhecida Leste/Oeste que, mesmo no perímetro urbano, é uma rodovia estadual. Ali o alvirrubro pretende edificar o seu Centro de Treinamento do lado esquerdo no sentido de que vai dos Paredões para o bairro Costa e Silva, em direção a Uern.

E pelo formato do anúncio, cheio de pompas através das redes sociais e site oficial do clube, a empolgação tomou conta e a coisa parece que vai fluir positivamente. E torcemos que realmente isso aconteça. A previsão é de que o time que disputará o Campeonato Estadual de profissionais do RN já possa utilizar o espaço em 2022. Resta desejar sucesso a diretoria do Time Macho e, lembrando, o torcedor será decisivo no momento da construção da estrutura do CT.

ESCREVENDO

O futebol não é aquele que esperamos de uma seleção do Brasil, mesmo assim o treinador Tite vai escrevendo, ou já registrou, o seu nome na história do escrete canarinho. Além da liderança isolada e sem susto rumo à classificação, ele se tornou no técnico de melhor arrancada em uma Eliminatória. Até o jogo contra o Chile, foram sete jogos e sete vitórias, superando o recorde de João Saldanha que era de seis partidas. E tem mais, é hora dos críticos colocarem a viola no saco, e eu estarei guardando a minha também, pois o treinador para o próximo mundial será ele mesmo, o Tite. Teremos um time conservador logo que ele possa contar com aqueles jogadores que não foram liberados por seus clubes, e a sorte será lançada no Catar. Pensar em título é pouco provável, porém como brasileiro, fica o sonho e a torcida para que isso aconteça.

SEGUNDONA

E estamos cada vez mais próximos da largada do Campeonato Potiguar da Série B. O campeão fica com a vaga na Série A do próximo ano. Pelo noticiário percebemos que as equipes do MEC, Potiguar de Currais Novos e Alecrim, foram aquelas que ainda realizaram amistosos antes da rodada inaugural do certame. Isso é bom, pois oferece as suas comissões técnicas uma situação real de como anda o grupo, principalmente aqueles atletas que já estão com espaço, digamos, quase certo no time titular. Os demais participantes, pelo que aconteceu até a sexta-feira, 03, nós só conheceremos mesmo com bola oficialmente rolando, já que optaram apenas pelos treinamentos. Esperamos uma competição acirrada, pois teremos clubes tradicionais e já com títulos da divisão principal disputando a famosa segundona.

PUNIÇÃO

 

Sem punição, quebraram a crista da Fifa. Pois é, os clubes ingleses não liberaram seus jogadores para a Seleção Brasileira e a Fifa ficou, até o momento, desmoralizada. Aquela tese de obrigação de liberar em data Fifa, jogaram no esgoto. Isso posto, retomo minha tese, não vai demorar e a turma da Europa vai querer uma competição apenas com seleções do seu continente ou, mais forte ainda, um torneio apenas com os clubes mais ricos. Como disse na coluna anterior, essa colocação parece extremamente absurda, porém não considero mais impossível de acontecer depois desse episódio da não liberação de jogadores para as disputas das Eliminatórias da Copa do Mundo, A Fifa exigiu e os clubes não deram a mínima, pelo contrário, ameaçaram buscar a justiça se a entidade insistisse no assunto. Acabou recuando.

NATURALIZADO

 

Além do jogador que não é liberado para defender a seleção do seu país, existe outro fator que vai mudando o cenário do esporte, a naturalização. No futebol tem seleções de outros países com três brasileiros convocados, como aconteceu recentemente na Eurocopa. E no futsal o quadro vai se repetindo. Podemos citar como exemplo o nosso conterrâneo, o potiguar Douglas Júnior que é titular e já apontado como ídolo da seleção de futsal do Cazaquistão. Isso mesmo, não tem mais fronteira para a naturalização de atletas que mostram talento e vontade de jogar fora do seu país berço. Vale aqui citar o reconhecimento e, me parece a razão maior de tudo, o dinheiro que essa turma ganha lá fora.

FRACO

 

Na sexta-feira dei uma olhada nos lances do jogo entre Vasco e Brasil de Pelotas, válido pela Série B, e cheguei à seguinte conclusão: Digno da Série E. Felizmente só temos até a Série D no futebol Brasil. Essa observação não vai no sentido de “cornetar” o time vascaíno como dizem os cariocas. A ideia aqui e manifestar, para o seu torcedor, a preocupação de uma possível permanência na segunda divisão. Perdendo pontos em casa, como foi a última partida, e quebrando a bola em relação a falta de qualidade, a tendência maior é não subir. O que ainda pode proporcionar esperança é fato dos times que estão liderando, não conseguirem disparar na pontuação. Porém, é preciso que o Vasco, mesmo jogando ruim como vem, consiga pontuar, fazer três em cada jogo. O quadro é terrível, futebol de Série E, quinta divisão.

 

Rapidinhas

ME veio a lembrança os bons times de vôlei, handebol e basquete dos Jogos Escolares do Rio Grande do Norte. Fazendo falta.

NO Rio Grande do Norte começa a liberação do público nos estádios. O teste será na Série B 2021.

EM tratamento no departamento médico, Bruno Henrique sonha com fase final da Libertadores. O torcedor do Flamengo também.

ASSIM como Flamengo, Palmeiras e Atlético, o Corinthians reforça o seu elenco. Ótimo para o futebol brasileiro.

                                  -x-x-x-x-x-x-x-x-x-