Notas da Redação

 


UTI

No Rio grande do Norte, o dia amanheceu com 148 pacientes contaminados pelo Covid-19 aguardando leito de UTI. Em Mossoró, hoje, não há nenhuma vaga de UTI, em hospitais públicos e privados.

 

 

PROGRESSÃO

O crescimento do registro de pacientes com Covid-19 é preocupante. No Brasil, em 11/04 foram 1.141 mortes; em 11/05 11.653 (crescimento por 10,2 vezes); em 11/06 41.058 (x 3,5).

LOCKDOWN

Com o aumento descontrolado do número de infectados, a prefeitura de Areia Branca decretou o lockdown no município. Até ontem, o boletim oficial registrava 1.258 casos notificados, 536 casos suspeitos e 32 óbitos, numa população de 27 mil habitantes.

BRASIL

O boletim do consórcio de veículos de imprensa, formado por O Globo, Extra, G1, Folha, Estão, UOL e Estradão, divulga que, até ontem à noite, o Brasil tem 805.682 casos de Covid-19 e 41.058 vidas perdidas.

CARTUCHOS

A Justiça Federal derrubou portaria do presidente Jair Bolsonaro triplicando o limite para compra de munição por particulares. Atualmente é permitido a compra de 200 cartuchos por registro de arma no Brasil.

FISCALIZAÇÃO

Por sugestão do deputado Kelps Lima, a Assembleia do RN vai fiscalizar ações do Governo do Rio Grande do Norte no Consórcio do Nordeste, pool formado pelos governadores da Região para facilitar execução de políticas públicas envolvendo mais de um estado nordestino.

TOMBA

O deputado Tomba Faria considera que “mais de dois meses depois de ter antecipado o pagamento de quase R$ 5 milhões para compra conjunta de respiradores pelo Consórcio Nordeste, os aparelhos não foram entregues conforme o contrato”.

DEPUTADA

Com a ida do deputado federal Fábio Faria para o Ministério das Comunicações, a vereadora de Natal, Carla Dickson (Pros), que foi candidata em 2018 e ficou como primeira suplente da coligação, com pouco mais de 60.590 votos.

TRE

Os desembargadores Cláudio Santos e Gilson Barbosa estarão à frente do Tribunal Regional Eleitoral do RN no biênio 2020-2022, em substituição aos desembargadores Glauber Rêgo e Cornélio Alves, atuais presidente e vice da Corte Eleitoral.

MILITARES

Os militares brasileiros, da ativa ou da reserva, bem que poderiam analisar o ato do general Mark Milley, chefe do Estado Maior Conjunto das Forças Armadas dos EUA, que pediu desculpas por acompanhar o presidente Trump que identificou, depois, como ato polítco.

FARDA

Em seu pedido de desculpas, o general americano Mark Milley disse que “minha presença naquele momento e naquele ambiente criou uma percepção de que militares poderiam estar envolvidos na política doméstica. Como oficial comissionado, foi um erro, com o qual aprendi e espero sinceramente que todos possamos aprender.