Notas da Redação

SALÁRIOS

É preciso mais honestidade com os servidores terceirizados do município de Mossoró. Os salários do mês sempre foram pagos no início do mês seguinte. Logo, o mês de dezembro deveria ser pago no início de janeiro, pois não está na condição de atraso salarial.

EMPENHO

A atual administração justifica que a antecessora cancelou os empenhos referentes aos pagamentos de dezembro. o que é prontamente desmentida pelos secretários anteriores. Se o cancelamento fosse real, caberia ao atual prefeito entrar com ação criminal contra Rosalba.

PAGAMENTO

A falta de pagamento dos salários dos terceirizados referentes ao mês de janeiro, assegurados para ontem, 8 de fevereiro, deixa o prefeito Allyson de mãos abanando. Justificar o fato devido a uma viagem do secretário foi pior ainda.

MENSAGEM

O prefeito Allyson Bezerra comparecerá, hoje, à Câmara Municipal. Na ocasião, fará a leitura da mensagem anual, marcando a abertura do ano legislativo, apresentando prioridades e metas da gestão municipal.

PREVIDÊNCIA

A administração municipal será obrigada a promover a Reforma da Previdência, a exemplo do que aconteceu com o governo estadual, O presidente da Previ, Paulo Linhares adiantou que fará todo esforço para amenizar a taxa, em relação a que foi aplicada em nível nacional.

UBIQUIDADE

A faculdade de estar concomitantemente presente em toda parte é um fato existente em Mossoró. Alguns professores, como Raul Nogueira Santos tem carga horária de 40 horas no Instituto Federal em Apodi, sendo procurador na prefeitura de Mossoró.

ONIPRESENÇA

O mesmo acontece com outro servidor do IFRN, onde o professor Flaviano Moreira tem dedicação exclusiva, mas consegue exercer o cargo de secretário municipal da Agricultura, em Mossoró.

CESTA

A Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos revelou que foi em Natal onde se verificou a maior queda entre os estados nordestinos. Com queda de -0,94% a cesta básica, em Natal, ficou em R$ 454,49, enquanto, em São Paulo, está em R$ 654,15.

VACINAS

A população brasileira reagiu em relação ao negacionismo do governo sobre o Covid-19 e mais de 70% afirmam que querem receber a vacina. O problema é que não há vacinas para todos e elas vão chegando a conta gotas em todo território nacional.

PESQUISA

Mais uma pesquisa IBESPE foi divulgada ontem à tarde. A avaliação positiva do presidente Bolsonaro caiu de 32% para 30% e, nas eleições de 2022 perderia no 2º turno para o ex-juiz Sérgio Moro e ficaria apenas dois pontos na frente de Ciro Gomes.

AUXÍLIO

O presidente Bolsonaro assiste à queda de sua popularidade justificada por sua posição ante a pandemia do Covid-19 e ao fim do auxílio emergencial. No primeiro caso, procura conviver melhor com a pandemia. No segundo, deverá prorrogar o auxílio, mesmo com valor menor.

PRIORIDADES

O ministro Ricardo Lewandowski, do STF (Supremo Tribunal Federal), determinou ao governo federal, ontem,  que defina, no prazo de cinco dias, a ordem de preferência entre os grupos prioritários no plano de vacinação contra a Covid-19.