Nise Yamagouhi é afastada de Hospital Albert Einstein após fala polêmica sobre judeus

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução
Médica que defende hidroxicloroquina contra Covid afirmou que os judeus foram “massa de rebanho” durante o holocausto e que caminhavam “alegremente” para os campos de concentração nazistas

O Hospital Israelita Albert Einstein suspendeu Nise Yamaguchi após uma fala polêmica da médica, famosa por defender o uso de hidroxicloroquina para tratar a Covid-19 contra todas as evidências científicas. Ela afirmou que os judeus foram “massa de rebanho” durante o holocausto e que caminhavam “alegremente” para os campos de concentração nazistas. A médica chegou a ser cotada para assumir o Ministério da Saúde no governo Jair Bolsonaro (sem partido).

Em entrevista ao SBT, na última sexta-feira (10), a médica afirmou que foi afastada do hospital por defender o uso precoce da hidroxicloroquina em pacientes diagnosticados com o novo coronavírus. “Eles acreditam que a minha fala em prol da hidroxicloroquina não tem fundo científico e denigre o hospital, porque todo mundo relaciona a minha presença à imagem do hospital. E eu sempre tenho colocado que eu não falo pelo hospital. Eu faço a defesa da hidroxicloroquina porque eu tenho certeza que ela cura nas fases iniciais”, disse a médica.

Em nota, o hospital negou a versão de Nise Yamaguchi e afirmou que o afastamento aconteceu por conta da fala da profissional sobre o holocausto. “Trata-se, contudo, de hospital israelita e a Dra. Nise Yamagushi, em entrevista recente, estabeleceu analogia infeliz e infundada entre o pânico provocado pela pandemia e a postura de vítimas do holocausto ao declarar que ‘você acha que alguns poucos militares nazistas conseguiriam controlar aquela MASSA DE REBANHO de judeus famintos se não os submetessem diariamente a humilhações, humilhações, humilhações…'”, diz trecho da nota.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *