Minas Gerais, Estado da arte e da cultura

Por Olavo Condé*

Minas Gerais é conhecido nacionalmente e mundialmente como o Estado das Artes, da História e das Tradições. Parte desse patrimônio tem o zelo permanente das Associação das Cidades Históricas de Minas Gerais, que é subdividida administrativamente em cinco regiões mineiras, que juntas detém mais de 50% de todo o patrimônio artístico e arquitetônico tombados no Brasil. A Associação mantém ainda em suas cidades três patrimônios culturais da Humanidade tombados pela Unesco, sendo eles os centros históricos de Diamantina e Ouro Preto, o Santuário do Bom Jesus de Matozinhos, em Congonhas, e o único Patrimônio Agrícola Mundial no Brasil, também tombado pela UNESCO, que são os Povos Tradicionais da Serra do Espinhaço, em Diamantina, reconhecidos agora como guardiões mundiais da biodiversidade.

E todas as regiões de Minas estão representadas na Associação das Cidades Históricas, em suas cinco regiões, sendo a Região das Artes, com as cidades de Congonhas, Brumadinho, Ouro Preto, Itabirito, Ouro Branco e Cataguazes. A Região das Histórias, com Diamantina, Conceição do Mato Dentro, Januária, Serro e a nossa Paracatu. Região das Manifestações: com Campanha, Itapecerica, Prados e São Thomé das Letras. Região das Riquezas: com Itabira, Bom Jesus do Amparo e Santa Bárbara e a Região das Tradições: com Sabará, Caeté e Lagoa Santa.

Todas essas cidades têm mais de trezentos anos de história e mantém vivas a cultura, a memória, as tradições, as artes, o patrimônio e diversas riquezas culturais das Minas Gerais, que se manterão vivas nessas cidades, esperando pelos futuros turistas, historiadores, pesquisadores e amantes da verdadeira alma mineira. Todo esse patrimônio mineiro permanecerá preservado e intocado em nossas cidades históricas, além do tempo e do espaço, e receberão a todos após o tempo de restrição social e pandemia mundial.

Vale lembrar que as cidades históricas mineiras têm um calendário anual de festas, festivais, feiras e eventos, que manterão suas datas a partir do segundo semestre, seguindo sempre as recomendações da Organização Mundial da Saúde.

Para saber um pouco mais sobre as cidades históricas mineiras e seu calendário anual de festas é só enviar um e-mail para a Associação das Cidades Históricas, sendo o endereço eletrônico [email protected].

A todo o povo ordeiro de Minas Gerais, faço um convite: Programe-se para em um futuro muito próximo conhecer o que há de melhor e mais belo entre as montanhas das Minas Gerais e seu povo.

*Olavo Condé é prefeito de Paracatu e presidente da Associação das Cidades Históricas de Minas Gerais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *