Jovem negro é vítima de racismo ao tentar trocar relógio em shopping do Rio

O entregador de aplicativo Matheus Fernandes, de 18 anos, foi vítima de racismo em um shopping da zona norte do Rio de Janeiro. Ele errou no presente de Dia dos Pais, um relógio digital e dourado, e foi trocá-lo na loja, após descobrir que o pai preferia um analógico e prateado.

Quando chegou ao estabelecimento, com a nota fiscal em mãos, para trocar o presente, percebeu que dois homens não paravam de olhar pra ele.

Minutos depois, os dois abordaram Matheus e disseram que precisavam conversar com ele. Com medo, o rapaz não quis sair da loja, mas foi levado mesmo assim para um canto. Um vídeo gravado por testemunhas e postado em redes sociais mostra a violência com que foi tratado. Matheus é imobilizado e já no chão, um dos homens aponta uma arma para o entregador.

“Eu sei que tudo isso foi por causa da minha cor. Em nenhum momento deixaram que eu mostrasse a nota fiscal do produto” , disse o rapaz.

Os dois homens só pararam de agir com violência quando as pessoas em volta interferiram na ação. O caso foi registrado na delegacia da Ilha do Governador. Para o delegado Marcus Henrique Oliveira, responsável pela investigação, o crime de racismo foi configurado. A pena vai de um até três anos de prisão e é inafiançável.

“Ele foi abordado por ser negro. Vamos ouvir funcionários da loja e do shopping para tentar identificar os agressores. O crime de racismo está claro”, afirmou o delegado.

A polícia está checando a informação que um dos agressores seria policial. Também há suspeitas que os agressores trabalhavam como seguranças do local. O Ilha Plaza Shopping lamentou o ocorrido e disse que está apurando rigorosamente os fatos para tomar as medidas necessárias.

Já a loja de departamentos lamentou o fato e informou que os agressores não integram o quadro de colaboradores ou de prestadores de serviço do estabelecimento.

CNN