Jogador Robinho é condenado em 2ª instância na Itália a 9 anos de prisão por estupro

Defesa diz que vai recorrer da decisão

A Justiça Italiana condenou em segunda instância nesta quinta-feira (10) o jogador Robinho e seu amigo Ricardo Falco a 9 anos de prisão pelo estupro de uma jovem albanesa em 2013. A Corte de Apelação julgou que foi “Uma investigação bem feita, de modo sério, com uma sentença de primeiro grau correta. Profissionalmente, estou muito satisfeito, principalmente pela vítima”.

A defesa do jogador, que apresentou durante a sentença dados pessoais da vítima, como 42 fotos em que ele aparece bebendo, numa tentativa de mostrar que ela era adepta ao consumo de bebida alcoólica, diz que vai recorrer da sentença.

O procurador Cuno Tarfusser, do Ministério Público que atuou no caso em segunda instância destacou alguns fatos que classificou como “indiscutíveis”: que três garotas foram a um local em Milão; que quando chegaram se agregaram aos brasileiros; que certamente a garota bebeu; que duas delas deixaram o local e a vítima ficou sozinha; que em 40-50 minutos tiveram relação sexual com essa garota e que essa relação aconteceu no camarim do local.