Domício Arruda: Cuidado! Homens Irritáveis

 

6BE0C21B-7C15-4B0F-BBF3-AC09D62E552E

Se a pandemia somente será controlada depois que as vacinas  forem aplicadas aos 7,8 bilhões de passageiros do planeta terra, ainda veremos muitas mudanças no comportamento humano.

Profundas, não serão apenas diferenças transitórias em hábitos e costumes.

Em menos de seis meses, além da mais temível das doenças infecciosas, surgiram  alterações no psiquismo das pessoas que poderão ser estudadas por um novo ramo do conhecimento  que à falta de batismo, começa a ser chamado de Psicologia Pós Pandemia.

Seu primeiro capítulo está quase concluído para publicação. Tratará de matéria que andava meio fora de moda.

A pergunta que nunca havia sido respondida com convicção, é renovada nestes tempos de isolamento e incertezas.

Existe mesmo TPM masculina?

No universo dos homens, o equivalente à Tensão Pré Menstrual fica difícil de ser comprovado pela falta de periodicidade e pela ausência do rastro vermelho rutilante.

Para sustentar a ideia de uma andropausa sem as módicas prestações, recorreu-se às alterações hormonais detectáveis, tendo surgido o conceito do DAEM.

Deficiência Androgênica do Envelhecimento Masculino.

Em fase mais tardia da vida, com a queda dos níveis do hormônio masculino, a testosterona, alterações físicas e comportamentais são bem caracterizadas.

O elixir da eterna juventude passou a ser prescrito em outras apresentações. Comprimidos, injeções e até sprays nasais.

O jogo hormonal parece não ter limites.

Até mesmo uma porção mulher tem sido indicada para os machos que queiram tornarem-se menos agressivos e mais generosos.

Mais amáveis e de  comportamento social mais adequado.

Sin perder la ternura, ocitocina neles!

As consequências da quarentena prolongada, do confinamento e do distanciamento do convívio social, mostram que entre o acabrunhado e o poderoso confiante no próprio taco, há muito mais do que hormônios carentes de reposição.

Um homem diferente, já aparecia, sem rótulos, nas redes sociais.

Irritado, agressivo, apático, desanimado, insone, emotivo.

Com o aquilo transbordando de tudo, por nada.

A mudança abrupta no relacionamento interpessoal e a maior convivência  com o  núcleo familiar, desenham com nitidez, os sinais que reunidos, formam um conjunto único, facilmente identificável.

O que se atribuía ao envelhecimento e à diminuição de produção das glândulas,  foi também observado em jovens.

Síndrome do Homem Irritável não deixará de ser aceita como entidade fora do padrão da normalidade, tantas foram as observações de situações semelhantes, em  diferentes países.

Está aberto um vasto campo para pesquisar como o problema deve ser enfrentado, antes que se agrave e fuja do controle.

Sem a dispensa das soluções endócrinas, tudo passa pelo equilíbrio Yin-Yang.

E pela compreensão das queridas rainhas do lar que não é da natureza masculina suportar a sobrecarga de tarefas a que vem sendo submetida, sem experiência anterior.

Que a depender do cromossomo Y, a louça nunca perderá um restinho de gordura nem os móveis, a poeira que contrasta tanto  com os delicados e vigilantes dedos, com unhas pintadas de carmim.

Se não houver a compreensão que a ração de cerveja, liberada  somente no sábado, não substitui as rodadas e as tantas saideiras em misóginas companhias, e que já é tempo de flexibilizar as saídas de casa, o problema dificilmente será solucionado.

Dizem que Dona Michelle aderiu ao método leniente e já nota como o maridão parece outro, depois que permitiu viagens  pelo Nordeste.

46310AC5-44DD-4A1D-842D-A548F63EA518

Domício Arruda é médico e jornalista
Território Livre – Tribuna do Norte