Deficiente visual de Areia Branca aprovada no PSV da Uern consegue o direito de cursar Filosofia

AREIA BRANCA – Demorou um ano, mas finalmente veio a boa notícia: a ex-aluna do Centro de Educação Especial (Ceeslauva) de Areia Branca, Rosemary Monteiro de Oliveira, que é deficiente visual, poderá se matricular e cursar Filosofia na Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (Uern), em Mossoró.

Ela foi aprovada em seu primeiro Processo Seletivo Vocacionado (PSV 2015), mas por problemas de saúde não compareceu para a Junta Médica à época da convocação. Mesmo com atestado médico, Rosemary não foi aceita.

Para fazer valer o direito de frequentar o curso para o qual foi aprovada, Rosemary teve que recorrer à Justiça. E só agora o juiz que julgou o caso, determinou que a Uern faça a matrícula da candidata.

A notícia da decisão da Justiça favorável a Rosemary foi comemorada no Ceeslauva. Além de parabenizar a ex-aluna por mais essa conquista, a equipe do Centro, coordenadora pela educadora Maria de Fátima Luz Lemos, agradeceu ao advogado Marcos Araújo, de Mossoró, que abraçou a causa (sem honorários).

Outro agradecimento é para o Centro de Apoio aos Deficientes Visuais (CADV) de Mossoró, na pessoa de João Neto, “que caminhou conosco na busca de soluções”, acrescentou a coordenação da entidade.

Entidade destaca conquista da ex-aluna

Integrantes do Ceeslauva se dizem alegres com o crescimento de Rosemary Monteiro e se orgulham de ter contribuído para ela chegar aonde chegou. “Com certeza Rosemary será uma grande filósofa. E ela ainda está esperando o resultado do Enem. Talvez até mude de curso”, concluiu empolgada a equipe Ceeslauva.

A coordenadora do Ceeslauva, Fátima Luz, relata que a futura filósofa, Rosemary Monteiro de Oliveira, foi descoberta pelo Centro por meio das atividades da “Tarde de Convivência”, desenvolvidas pelo Centro. “Levamos ela de volta a escola e garantimos total apoio à mesma”, disse.

Depois de uma permanência no Ceeslauva, Rosemary foi para a Escola Estadual Cônego Ismar Fernandes de Queiroz, em Areia Branca, onde concluiu o segundo grau. Ela também frequentou o Centro de Apoio aos Deficientes Visuais (CADV) de Mossoró.