Coronavírus: 11 estados brasileiros registram lockdown em pelo menos uma cidade

Com 271.628 infectados novo coronavírus e 17.971 brasileiros mortos no país até 19 de maio, conforme dados do Ministério da Saúde, estados e municípios vêm aplicando medidas mais restritivas de isolamento social. No Brasil, pelo menos 11 estados registraram alguma medida de lockdown, isolamento social mais restrito. O distanciamento é a mais eficaz forma de prevenção da doença, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Foram publicados decretos estaduais no Amapá, no Maranhão, no Pará, em Tocantins, no Ceará, em Pernambuco, além de cidades do Amazonas, do Mato Grosso do Sul, do Paraná, do Rio de Janeiro e do Rio Grande do Norte. O Amapá foi o único, até o momento, a decretar a medida em todo o estado.

::Entenda por que e quando uma cidade precisa de bloqueio total, o chamado lockdown::

Lockdown é uma expressão em inglês e, ainda que não tenha uma definição única, pode ser traduzido para o português como “fechamento total” ou “confinamento”. O isolamento mais rígido pode ser decretado pelo estado ou pela Justiça em caso de situações extremas de pandemia. Entretanto, nos dois grandes focos da covid-19, São Paulo e Rio de Janeiro, a aplicação do bloqueio total ainda é discutida.

Raquel Stucchi, integrante da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI) e professora da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), explicou, em entrevista para o Brasil de Fato, que o momento para avaliação do lockdown é quando há um aumento expressivo do número de casos e, consequentemente, de mortes, além de uma estrutura hospitalar insuficiente para atender a demanda.

“É necessário o lockdown porque, na hora que se tira forçosamente as pessoas [de circulação], obrigando a todas que fiquem em casa, há a diminuição da velocidade de transmissão; logo, há a diminuição das pessoas que vão precisar de hospital”, afirma Stucchi.

Nordeste

Após um estudo da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) apontar que o Maranhão estava a um ritmo maior de crescimento no número de mortos por covid-19 no país, o estado foi o primeiro a aumentar as restrições do isolamento social com lockdown. A medida ficou em vigor de 5 a 17 de maio e eram válidas para as cidades da Grande São Luís. Na segunda-feira (18), passou a vigorá o decreto anterior ao confinamento obrigatório, que abrange todo o estado. Ou seja: as restrições continuam existindo, no entanto, estão mais leves.

::Para reduzir contágio, estados do Nordeste aderem ao isolamento social rígido::

O Ceará adotou o isolamento social mais rígido de 8 a 20 de maio em Fortaleza. Outra medida foi o controle nas entradas e saídas da capital cearense, com a fiscalização de órgãos estaduais e municipais. O estado é o segundo no ranking de número de casos da covid-19 no país, com 28.112 infectados e 1.856 óbitos, com dados até 19 de maio.

Em Pernambuco, o governador Paulo Câmara (PSB) anunciou isolamento social rígido de 16 de maio até o final do mês. As regras são válidas para cinco cidades da Região Metropolitana do Recife. Com as mudanças, o uso da máscara passa a ser obrigatório e fica determinada a restrição de circulação de veículos e pessoas. Para isso, foi adotado o sistema de rodízio de automóveis e pontos de fiscalização.

O Sindicato dos Servidores de Saúde do Rio Grande do Norte entrou na Justiça para implementação do lockdown em Natal, mas foi o pedido foi negado. Entretando, a cidade de Itaú, que tem pouco menos de 6 mil habitantes, no sertão potiguar, decretou a medida restritiva após um surto de covid-19 iniciado em uma casa de jogos clandestina frequentada por moradores da cidade e da região.

O Piauí decretou lockdown parcial em todo o estado durante os dias 15, 16 e 17 de maio. A medida proibia a comercialização de bebidas alcoólicas, abertura de supermercados, comércios e suspensão do transporte intermunicipal de ônibus e vans.

Bahia, Paraíba e Alagoas não decretaram lockdown, mas implementaram outras medidas restritivas. No estado da Paraíba, desde o dia 16 de maio, o transporte intermunicipal foi suspenso e as estradas na região metropolitana tem barreira sanitária. Em Alagoas, o acesso às praias, calçadões à beira-mar, orlas de rio, lagoas e praças estão proibidos até esta quarta-feira (20). Na Bahia, seis cidades decretaram toque de recolher à noite, entre elas Juazeiro, Alagoinhas, Valente, Curaçá, Itabuna e Ipiaú. A capital baiana decretou regras mais rígidas em quatro bairros.

Sudeste

São Paulo é o estado com o maior número de casos confirmados e de mortes pela covid-19, com 65.995 infectados e 5.147 óbitos, mas registra baixa adesão ao isolamento social. Nessa terça-feira (19), o índice estavam em 49%, segundo monitoramento do governo paulista.

O prefeito da capital, Bruno Covas (PSDB), e o governador João Doria (PSDB) adotam medidas para evitar o lockdown. A primeira delas foi ampliação do rodízio de carros, mas, segundo a prefeitura, não surtiu efeito prático na restrição de circulação das pessoas.

Agora, Covas decretou a antecipação de feriados municipais para esta semana. Corpus Christi, previsto para 11 de junho, e Consciência Negra, que ocorreria em 20 de novembro, passaram para os dias 20 e 21 de maio. Sexta-feira (22) é ponto facultativo.

Segundo Doria, o protocolo para implementação do lockdown no estado já está pronto, mas a capacidade do sistema de saúde é que decidirá se a medida será adotada ou não. A taxa de ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) na capital paulista é de 90%, enquanto a taxa em enfermarias é de 76%, segundo dados da prefeitura nessa terça-feira (19).

Rio de Janeiro é o terceiro estado no ranking nacional da pandemia, com 27.805 confirmados e 3.079 óbitos registrados até 19 de maio. A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) alertou o governo estadual e municipal para o descontrole com as novas infecções, mas o governador Wilson Witzel (PSC) delegou aos municípios a autoridade para que cada um estabeleça suas regras de isolamento. Os prefeitos de Niterói, Campos de Goytacazes e São Gonçalo aderiram ao lockdown de 11 a 15 de maio e decretaram que quem furar o bloqueio pode ser multado em R$ 180.

Já o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (Republicanos), decretou bloqueios de entrada e de circulação em alguns bairros da capital carioca.

Norte

O Amapá foi o primeiro do país a decretar lockdown no estado inteiro. A medida começou nessa terça-feira (19) e tem validade inicial de dez dias. Também foi determinado um rodízio no qual veículos com placas pares e ímpares circulam em dias alternados em Macapá, capital do estado.

O governo do Pará decretou lockdown na capital Belém e em mais dez cidades do estado. A medida entrou em vigor no dia 7 de maio e foi prorrogada até 24 de maio. Os municípios escolhidos para o isolamento restrito têm números de casos da covid-19 acima da média estadual, que é de 51 casos a cada 100 mil habitantes. Esses 11 municípios estão com pelo menos 75 casos a cada 100 mil habitantes.

::Mais de 80% dos leitos de UTI estão ocupados nos 5 estados com mais casos da covid-19::

No estado do Amazonas, primeiro a registrar o colapso no sistema de saúde, só as cidades de Tefé, Silves, Barreirinha e São Gabriel da Cachoeira adotaram o bloqueio total de circulação de pessoas nas cidades. Está em vigor, no estado, a suspensão do funcionamento de estabelecimentos comerciais e de serviços não essenciais até o dia 31 de maio, uso obrigatório de máscara e multas – de R$ 50 mil ao dia para empresas – em casos de descumprimento das determinações.

Em Roraima, apenas o município de Bonfim, no norte do estado, está em lockdown desde o dia 11 de maio. O bloqueio está previsto para acabar nesta quarta-feira (20).

No Acre, entre 18 e 31 de maio, haverá rodízio de veículos no perímetro urbano da capital, Rio Branco.

Sul

No Paraná, apenas a cidade de Campina Grande do Sul, localizada na região metropolitana de Curitiba, decretou lockdown até o momento. São 15 dias de bloqueio, contados a partir do dia 13 de maio, em três bairros da área rural do município de pouco mais de 43 mil habitantes.

O Rio Grande do Sul implementou outro modelo de distanciamento social. Nele, o estado foi dividido em 20 regiões que passam a ser classificadas por quatro bandeiras diferentes: amarela, laranja, vermelha e preta. A classificação leva em conta a propagação da doença e a capacidade do sistema de saúde em cada região. Apenas a região de Lajeado tem bandeira vermelha, que proíbe comércio de rua e shoppings.

Centro-Oeste

Na região Centro-Oeste, apenas a cidade de Guia Lopes da Laguna, no Mato Grosso do Sul, adotou medidas mais restritivas. Localizada a 234 km da capital Campo Grande, o decreto de lockdown está em vigor desde o dia 7 de maio e vai até o dia 23. O município tem a maior incidência da doença no estado – 900 casos a cada 100 mil habitantes.

 

Brasil de Fato