CNA PEDE APOIO E MINISTÉRIO DA AGRICULTURA RECOMENDA REABERTURA DE FLORICULTURAS PARA O DIA DAS MÃES

Medida vale para as próximas duas semanas em todo o país e será essencial para manter a sobrevivência do setor de flores e plantas ornamentais

O Ministério da Agricultura atendeu a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e recomendou, na noite de quinta (30), a reabertura, nos estados e municípios em todo o país, das floriculturas e garden centers pelas próximas duas semanas diante da demanda por estes produtos em comemoração ao Dia das Mães.

À tarde, o presidente da CNA, João Martins, encaminhou ofício à ministra Tereza Cristina, pedindo o apoio junto às esferas estaduais e municipais para a reabertura, em caráter excepcional, das floriculturas e garden centers na semana que antecede o Dia das Mães, adotando todas as recomendações do Ministério da Saúde para garantir a segurança dos trabalhadores e dos clientes.

Os produtores de flores e plantas ornamentais foram fortemente impactados com as restrições impostas no enfrentamento do coronavírus, como o fechamento de estabelecimentos e a proibição da realização de eventos. Estima-se que as vendas do setor caíram mais de 80%.

“O Dia das Mães é a principal data para as vendas pelo setor. A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) tem a convicção de que a reabertura desses estabelecimentos amenizará os prejuízos dos produtores de flores e plantas ornamentais do País”, disse o presidente da CNA, João Martins.

“Assim como aconteceu em São Paulo e Minas Gerais, que permitiram o retorno definitivo desses estabelecimentos, as floriculturas e garden centers dos demais Estados também estão aptos para retomar as atividades, desde que adotadas as recomendações do Ministério da Saúde de forma a oferecer segurança aos clientes e trabalhadores”, completou o presidente da CNA.

Em resposta ao ofício encaminhado pelo presidente da CNA, o Mapa reconheceu a importância do setor de flores e plantas ornamentais, que faz parte do agro e logo é reconhecido como atividade essencial, e os efeitos da atual crise provocada pela pandemia de Covid-19 sobre o setor.

“Entendemos que no atual cenário a comercialização de flores e plantas ornamentais encontra-se amparada pela adoção dessas medidas já amplamente divulgadas, que dão condições para o adequado funcionamento de estabelecimentos de comercialização.             Somos favoráveis à adoção dessas medidas, em especial para as próximas duas semanas, visando ao atendimento da alta demanda para estes produtos por ocasião do dia das mães”, diz o Mapa.

Ainda na resposta, o Mapa reforça que a adoção das medidas adicionais de higiene e segurança sanitária torna possível a retomada desse segmento de comércio, em caráter excepcional, mas podendo servir para a sua retomada definitiva.

São Paulo – A CNA apoiou a ação do Instituto Brasileiro de Floricultura (Ibraflor) junto à Secretária de Agricultura do Estado de São Paulo para a reabertura de floriculturas e garden centers durante o período da pandemia no estado.

A determinação foi publicada pela Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, na quarta (29). Conforme a decisão, o setor está incluído nas atividades agropecuárias e pode continuar operando, desde que respeitados e implementados os cuidados devidos para prevenção da transmissão do novo coronavírus.

“É uma conquista importante e urgente. Esperamos que isso sirva de referência para outros estados também. A principal data do setor é o Dia das Mães e o final das vendas acontece de hoje até a próxima quarta-feira”, disse o presidente da Comissão Nacional de Hortaliças e Flores da CNA, Manoel Oliveira.

Segundo ele, a CNA e outras entidades do setor, criaram um comitê para discutir estratégias visando à retomada das atividades. As reuniões acontecem há seis semanas, em Holambra (SP), base produtiva de flores no Brasil.

Outro ponto fundamental para a recuperação dos produtores de flores e plantas ornamentais são medidas de apoio econômico. Nesse aspecto, Manoel Oliveira destaca que a CNA vem atuando para a definição de políticas agrícolas que contemplem custeio, incremento e a possibilidade de prorrogação de financiamentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *