Celso de Mello suspende processos contra Deltan no CNMP

Deltan Dallagnol

O procurador da República Deltan Dallagnol em entrevista para a CNN

Foto: CNN (03.jul.2020)

O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), suspendeu nesta segunda-feira (17) dois processos contra o procurador Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da Operação Lava Jato em Curitiba.

As ações tramitam no Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), que tem sessão nesta terça-feira (18) e poderia afastar Deltan. As acusações contra o procurador tratam de suposta utilização da operação para promoção pessoal por parte dele.

 

Essa foi a segunda decisão favorável ao coordenador da Lava Jato proferida ao longo do dia no STF. Mais cedo, o ministro Luiz Fux suspendeu uma advertência imposta a Dallagnol pelo CNMP após o procurador ter dito que o STF passava imagem de “leniência” com a corrupção.

Na prática, a decisão de Fux já impediria que Deltan fosse julgado pelo conselho como uma espécie de “reincidente” em desvios funcionais, o que poderia justificar uma pena mais grave, como o afastamento do procurador dos casos da Operação Lava Jato.

Posição de Deltan

Antes da decisão do decano do STF, o coordenador da Lava Jato falou sobre as representações em entrevista exclusiva à CNN. Deltan alegou que uma eventual punição com remoção pelos fatos relatados poderia afetar a independência do Ministério Público.

“Não é sobre instaurar uma investigação, mas sim iniciar processo de remoção por interesse público sem fatos graves e comprovados. A decisão do conselho define o que se espera para o futuro, se membro poderão seguir atuando de maneira dedicada ou se terão que temer represálias,” disse o procurador, entrevistado pelos âncoras Caio Junqueira e Monalisa Perrone.

Deltan Dallagnol alegou que as palestras proferidas por ele se encaixam na função de docente, que seria combatível com a atuação de procurador. A oferta de palestras foi apontada pela senadora Kátia Abreu (PP-TO) na representação que a parlamentar apresentou contra ele.

CNN