CÉSAR GUIMARÃES é poeta, compositor, produtor cultural, acadêmico do curso de Direito da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte – UERN. É de Sousa-PB, radicado em Mossoró, considera-se “potibano”, por sua vida se dividir entre essas duas cidades até hoje.
Começou a escrever no início dos anos 2000, passando a publicar seus textos nas redes sociais anos depois, período em que surgem as primeiras parcerias musicais e composições. Em 2009 começou seu trabalho de produção cultural ainda em Sousa, sendo que, em 2013, voltou a residir em Mossoró, onde constituiu sua família. Mas parcerias musicais com os sousenses permanecem. Em 2018, teve seu poema “Saudades” incluído na V Amostra de poesias “Abril para Leitura”, sendo homenageado como poeta do sertão paraibano. Em 2019, participou do evento literário “Clube do Leitor” com o tema “O eu poético humano na poesia confessional de César Guimarães”. Em 2019, teve seu poema “Sob luzes… sensações” publicado na coletânea “Literarte Celebra o Nordeste Brasileiro”, sendo mesmo poema parte da 4ª Expo Itinerante da Literarte, no Salão do livro de Genebra, na Suíça. Em Mossoró, produziu o concerto internacional Modulatus Project em 2019 e desde 2014 atua na produção do trabalho da cantora e escritora Symara Tâmara, sua esposa. Em 2020 produziu o evento lítero-musical Dia da Poesia, ao lado de Caio César Muniz e Genildo Costa. Ainda em 2020, teve seu primeiro livro de poemas “Réu do amor confesso” aprovado no Prêmio Fomento, pela PMM, com previsão de lançamento para o início de 2021 e seu poema “Seu” contemplado na categoria Poesia no Prêmio Literário João Batista Cascudo Rodrigues da AMOL – Academia Mossoroense de Letras. É diretor da recém-fundada Acunha Produções, especializada em projetos culturais.

 

SEU

Sou tão pouco
Não em sentimento
Senão seria louco
O que há aqui dentro
É imenso, imensurável
É plural, porém bem singular
Tão forte, tão intenso
Como meu jeito de amar
Sou pouco dentro de um tudo
E vivo aprendendo
Convivência
Conivência
Consciência
Consequência
Brigas, discussões
Beijos, uniões
Sou pouco
Não o que há
Acho que não basto
Insuficiente
Raso
Fraco
Asco
Digam, pensem o que quiserem
Achem isso tudo
E me deixem com minha certeza
Sou pouco, mas meu
E se quiser…

 

SOB LUZES… SENSAÇÕES

A lua iluminava a sedução
Que pairava entre olhares
Tornava ação um inspirado
Compositor de beijos
Os olhos eram as mãos
Em um competente abraço
A força do carinho conquistava a liberdade
Surgia uma melodia dos sussurros
Criava-se a trilha das sensações
E o quarto se fez jardim com o perfume
Que exalava dos lençóis…
A noite foi tão maravilhosa
Que a lua se redimiu à luz
Que vinha dos seus olhos;
E logo a manhã chegou
Com a singela esperança
De que o sol também iluminasse
O seu caminho
Fazendo brilhar ainda mais
O seu sorriso.

 

VAI PASSAR

Vai passar
O abraço voltará
A ser nossa extensão
O beijo habitará
Rosto e coração
Vai passar
A esperança
Se fez ação
Na humanidade
Na mentira
Na verdade
Generosidade
Compaixão
O poder de escolha
Pôs à prova
Gestos e palavras
Sentimentos
Arrependimentos
A oração no isolamento
É força constante
Que se torne presente
Sobretudo
No agradecimento.

Bolinha de sabão

Tudo lindo
Leve e solto
Como o som
Indo
Calmo e afoito
Pequeno colorido
Com os olhos do ouvido
Bem aqui
Ao voar
Voa livre
Entoa ao planar
Bolinha de sabão
Bom de imaginar
Sua nota
Em minha mente
Teimando ao soar
Pra mim um sorriso
Um mundo novo
Paraíso
Campo harmônico
Icônico
Pra isso eu vivi
Nova descoberta
Busco a nota certa
Na bolinha
Que explodi.