Imagem blogspot

Profissionais passam por atualização sobre chikungunya

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) realiza nesta segunda-feira, 17, até às 17h, um Seminário de Atualização em Chikungunya, no hotel Holiday Inn, em Natal. O evento reúne cerca de 250 profissionais de saúde de vários municípios do Rio Grande do Norte.

A ação tem a parceria do Ministério da Saúde e Organização Pan-americana da Saúde (OPAS). O objetivo é qualificar o atendimento na rede de saúde do Estado através da multiplicação do conhecimento nos serviços, municípios e regiões de saúde onde os profissionais atuam, a respeito dos aspectos epidemiológicos, laboratoriais, manejo clínico e controle vetorial da doença.

No último boletim epidemiológico das arboviroses o número de casos suspeitos de chikungunya era de 15.402 notificações, sendo 6.310 casos confirmados da doença em 2019 no RN. Ano passado foram 11 óbitos por chikungunya no estado, sendo 8 em Natal, 1 em Parnamirim, 1 em Monte Alegre e 1 em Poço Branco

“Este é um momento importante de atualização dos profissionais. Ano passado o RN passou por uma epidemia de chikungunya e precisamos estar atentos para evitar os óbitos por doenças que tem prevenção simples”, afirmou Priscilla Leal, da Coordenação Geral de Vigilância das Arboviroses do Ministério da Saúde.

Na abertura do evento, o secretário adjunto da saúde, Petrônio Spinelli, falou da importância de capacitar os profissionais de saúde e torná-los multiplicadores dos conhecimentos em seus territórios. “Trabalhando de forma preventiva e fazendo a promoção da saúde podemos enfrentar estas doenças que tanto nos preocupam e que vem causando tantos óbitos no nosso estado. Esse é um espaço fundamental de interação e socialização das informações”, disse o secretário adjunto.

Participam do Seminário os profissionais de saúde dos municípios prioritários do Rio Grande do Norte que atuam na vigilância ou assistência direta aos pacientes com suspeita ou confirmação da doença.

Os municípios considerados prioritários são aqueles que tiveram ocorrência de óbito suspeito ou confirmado por arboviroses nos anos anteriores, e os que possuem hospitais ou Unidades de Pronto Atendimento que recebam pacientes com sintomatologia suspeita de arboviroses. No Rio Grande do Norte são: Pau dos Ferros, Santa Cruz, Caicó, Currais Novos, Nova Cruz, João Câmara, Extremoz, Assu, São Miguel, Mossoró, São Paulo do Potengi, São José de Mipibu, Macaíba, Ceará Mirim, Parnamirim, São Gonçalo do Amarante e Natal.

Na programação do Seminário estão palestras e discussões sobre: Situação epidemiológica das arboviroses no Brasil e novas tecnologias; Situação epidemiológica da chikungunya no estado do Rio Grande do Norte: avanços, desafios e perspectivas; Aspectos clínicos aplicados a Chikungunya; Organização dos serviços e abordagem dos elementos fundamentais da assistência ao paciente em epidemia de chikungunya; Perfil dos óbitos por arbovírus no Brasil; Capacidade laboratorial para diagnóstico da chikungunya no Brasil; Desafios para o monitoramento entomológico de vetores das arboviroses urbanas no Brasil e Vigilância entomológica e controle vetorial no município de Natal.

Assecom