sexta-feira , 22 de junho de 2018
Home / Artigos / Mossoró: uma força motriz dentro da abordagem territorial – Bruno José Bezerra
Mossoró: uma força motriz dentro da abordagem territorial - Bruno José Bezerra

Mossoró: uma força motriz dentro da abordagem territorial – Bruno José Bezerra

Por Bruno José Bezerra* 

O desenvolvimento territorial é uma perspectiva gerada entre os anos de 1970 e 1980, que objetiva, principalmente, o fortalecimento das instituições e organizações locais, a solidificação de comunidades ativas e participativas, a implantação do capital social, ações sustentáveis planejadas, a articulação de políticas públicas e o financiamento de projetos produtivos. Nesse processo, destaca-se o protagonismo dos atores locais e a utilização dos recursos endógenos, desse modo, permitindo o aumento na geração de emprego-renda, que por sua vez, contribui para a dinâmica econômica local.

A abordagem territorial é implantada no município de Mossoró em 2003, quando é elaborado o Território de Identidade Açu-Mossoró, que atualmente é denominado de Território da Cidadania Açu-Mossoró, que por sua vez, abrange quatorze (14) municípios do Rio Grande do Norte. Diante desse título, é notório a existia singular de dois municípios polos: Assú e Mossoró.

O município de Mossoró é o principal centro polarizador do território ao apresentar elevados indicadores socioeconômicos. Por exemplo, o produto interno bruto municipal é identificado em R$ 6.221.099 em 2014; assim sendo, o maior PIB municipal, se comparado, aos demais municípios do território. Assim, o município mossoroense torna-se eminente na dinamização econômica territorial.

No âmbito populacional, a concentração de indivíduos é maior no espaço urbano, em virtude dos elementos socioeconômicos atrativos. Esse resultado está associado ao Índice de Bem-Estar Urbano (IBEU) que aponta o município de Mossoró com o maior dado no Território Açu-Mossoró. Por outro lado, o espaço rural abrange a menor parcela populacional no município, em razão das precárias condições sociais, econômicas e culturais. No entanto, há algumas raras ações que estimulam a permanência gradativa dos indivíduos nos domicílios rurais e contribuem para a geração de arranjos produtivos locais. Além disso, Mossoró é considerado um importante distribuidor de alimentos agrícolas.

No campo da educação em Mossoró, destaca-se a existência de instituições de ensino superior, por exemplo, a Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, Universidade Federal Rural do Semi-Árido e a Universidade Potiguar. A presença das IES no município aponta para a incorporação de conhecimento, troca de experiências profissionais e melhores prestações de serviços. Na educação de base municipal, destaca-se o elevado dado no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) identificado em 3,10 em 2013, sendo assim, um resultado recorde na série dos últimos seis anos.

A prática de atividades culturais é um fenômeno característico do município que apresenta importantes espetáculos, por exemplo, Chuva de Bala no País de Mossoró, o Oratório de Santa Luzia, além de grupos teatrais e musicais

compostos pelos indivíduos locais que recebem estímulo financeiro da prefeitura do município.

A relevância de município torna-se notória por meio de outros resultados, entre eles: o aumento na frota de veículos, o acrescimento na quantidade de domicílios, e a redução na taxa de mortalidade infantil. Além de expor o maior dado no Índice de Desenvolvimento Humano Municipal no território, bem como, um elevado quantitativo de indivíduos ocupados.

No entanto, o município ainda apresenta algumas ações de hierarquia vertical, assim sendo, há iniciativas provisórias, que por sua vez, transformam-se em futuros obstáculos. Nesse sentido, a segurança pública é certamente o segmento mais fragilizado no atual cenário mossoroense, desse modo, tendo que conter os elevados índices de criminalidade no município, mesmo sem ter as condições adequadas no exercício do serviço.

Por fim, salienta-se a necessidade de haver uma combinação equilibrada das estratégias bottom-up e top-down no decorrer do continuo processo de desenvolvimento municipal, a fim de fixar-se cada vez mais como um importante instrumento na dinâmica do desenvolvimento regional e nacional.

Bruno José Bezerra Silva. Graduado em Ciências Econômicas pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN). Pós-graduando em Gestão Pública pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN).