sábado , 25 de novembro de 2017
Home / Brasil / Ministro anuncia para dezembro novo programa para unir empresas e universidades
Ministro Mendonça Filho

Ministro anuncia para dezembro novo programa para unir empresas e universidades

Elaine Patricia Cruz – Repórter da Agência Brasil

O ministro da Educação, Mendonça Filho, disse hoje (10), em São Paulo, que o governo federal deve lançar, em dezembro, um programa de apoio à ciência e inovação no país, tentando aproximar o setor empresarial dos centros de pesquisa e de ciência e universidades com o objetivo de agregar tecnologia e inovação aos produtos fabricados no país.

O programa, explicou o ministro, pretende utilizar um fundo não contingenciável. “Ele vai funcionar para além do Orçamento, o que é uma lógica bem interessante. E vai aproximar projetos de pesquisa do setor produtivo, da inovação aplicada à prática do ponto de vista de conhecimentos, que agreguem novos produtos, novos valores à cadeia produtiva brasileira. E também apoiando jovens e cientistas outros que atuam em centros de pesquisa no Brasil”, explicou.

Segundo o ministro, a proposta de programa ainda está sendo fechada em parceria com outros ministérios e o gabinete da Presidência da República. “A lógica é aproximar, cada vez mais, a academia, centros de pesquisa e universidades junto ao setor produtivo e utilizar mecanismos que possam ajudar uma ampliação do setor empresarial na área do conhecimento, vinculada a novos desafios do ponto de vista tecnológico e de inovação que possam contribuir para o desenvolvimento do país”, falou.

Mendonça Filho foi a São Paulo participar de um almoço com empresários associados à Câmara de Comércio França-Brasil. No almoço, o ministro apresentou um panorama sobre o Ministério da Educação e a agenda de mudanças previstas na área para os próximos anos. “Boa parte dos presentes [ao almoço] trabalha em cooperação internacional na área educacional e outra parcela dos que assistiram e participaram do debate atua no setor empresarial, representando grandes e importantes empresas francesas com atuação no Brasil”, disse o ministro a jornalistas, após a palestra.