sábado , 25 de novembro de 2017
Home / Destaques / Justiça condena potiguar preso com 5,6 kg de produto usado para fabricar ecstasy
Allan Estruzani Ferreira Mendes foi flagrado no Aeroporto Internacional  de São Gonçalo do Amarante, em abril deste ano, com 5,629 kg de substância usada na fabricação de ecstasy.
Allan Estruzani Ferreira Mendes foi flagrado no Aeroporto Internacional de São Gonçalo do Amarante, em abril deste ano, com 5,629 kg de substância usada na fabricação de ecstasy.

Justiça condena potiguar preso com 5,6 kg de produto usado para fabricar ecstasy

O potiguar Allan Estruzani Ferreira Mendes, de 19 anos, residente em Curitiba, foi condenado a seis anos seis meses e 17 dias de prisão. Ele foi flagrado, em abril deste ano, transportando 5,629 kg de substância usada na fabricação da pílula conhecida como ecstasy. O rapaz havia embarcado em Bruxelas, na Bélica, passou por Portugal e desembarcou no Aeroporto Internacional  de São Gonçalo do Amarante, no Rio Grande do Norte, quando foi preso.

O material apreendido é suficiente para produzir 75.053 pílulas de ecstasy. O valor médio de comercialização dos comprimidos é R$ 50,00, ou seja, a carga seria equivalente a R$ 3,75 milhões.

“Estamos diante de uma expressiva quantidade apreendida em poder do acusado, que não poderá ser ignorada na dosimetria da pena”, escreveu o Juiz Federal Walter Nunes da Silva Júnior, autor da sentença.

Em audiência, Allan Estruzani confirmou o delito e disse que foi “contratado por um rapaz que conheceu em uma rave”. Além da privação de liberdade, ele ainda pagará 500 dias-multa, onde cada dia-multa equivale a 1/30 do salário mínimo vigente.