quinta-feira , 23 de maio de 2019
Home / Destaques / Homicídios no RN apresentam redução em relação à 2017, mas no quadriênio 2015-2018 o saldo é de alta
WhatsApp Image 2018-11-12 at 10.53.18

Homicídios no RN apresentam redução em relação à 2017, mas no quadriênio 2015-2018 o saldo é de alta

O OBVIO (Observatório da Violência) do RN, traz nova atualização da contagem comparada de CVLIs (Condutas Violentas Letais Intencionais), principalmente de homicídios dolosos no âmbito do Estado do RN. Até a data de ontem, foram 1749 mortes violentas, contra 2127 em 2017, 1718 em 2016 e 1397 em 2015. Na média diária, 2018 teve média diária de 5,53 CVLIs (até a data supracitada), contra 6,73 em 2017, 5,44 em 2016 e 4,42 em 2015.

Importante salientar que o OBVIO – Observatório da Violência do RN, Instituto Marcos Dionísio Medeiros Caldas, grupo de pesquisa UFERSA/CNPQ, estuda principalmente a situação dos Homicídios e demais CVLIs (Condutas Violentas Letais Intencionais) no âmbito do RN e de seus pólos mais complexos (Natal e sua Região Metropolitana e Mossoró).

 

WhatsApp Image 2018-11-12 at 10.53.18

Os dados do OBVIO RN apontam um decréscimo das mortes violentas no comparativo 2018-2017 de cerca de 23%. Mas, levando-se em conta que, de 2015 para 2018, o crescimento é de mais de 17%, não se pode falar em redução, mas de uma dinâmica negativa que não se configura ainda como plausível de continuidade.

Uma redução só pode ser “sustentável se fossem trabalhadas todas as manchas criminais e adotadas outras medidas de sustentação do quadro de redução de CVLI”, como relatou um delegado da Polícia Civil RN a este docente.  No ano de 2015, segundo o mesmo delegado, “a redução de CVLI em 2015 se deu, principalmente, pela nova forma de atender locais de CVLI da DEHOM e criação da DHPP, bem como policiamento ostensivos bem direcionados pelo primeiro comandante da PM. Porém eram táticas que não teriam sustentabilidade por si só a médio e longo prazo”

Assim, continuamos com a mesma perspectiva, sem panacéia real de redução, onde além da falta de políticas públicas gerais, temos uma desestruturação das polícias, inteligência e planejamento estratégico, além dos problemas no sistema prisional. Com esse quadro, sem a integração que dados efetivos e o planejamento real proporcionariam, tendemos a ter mais violência a médio prazo.

 

WhatsApp Image 2018-11-12 at 10.57.27

As regiões mais violentas são, respectivamente a Região Leste, comandada pela Região Metropolitana de Natal, e a Região Oeste, com Mossoró e seu entorno. Ambas as regiões concentram praticamente 90% das taxas de vitimização do RN.

A maior parte dos tipos de CVLIs são os Homicídios Dolosos, cujas macrocausas e microcausas se ligam à questão das execuções arbitrárias e de ações tipificadas no gênero. O mesmo modus operandi se repetem ano a ano, apontando as execuções orquestradas como principal tipo de morte violenta no RN.

O perfil das vítimas de CVLIs no RN seguem o mesmo padrão nacional e a mesma continuidade que este Observatório vem verificando desde 2011: homens, jovens, pardos e negros, moradores de periferias, baixa escolaridade, baixa renda e com perfil de execução. Quadro que aponta que, mais do que nunca, a marca de nossa violência mais brutal continua sendo a mortandade de jovens pobres e negros. Sinal de maior desigualdade que isso não há.

WhatsApp Image 2018-11-12 at 10.52.49