sexta-feira , 26 de maio de 2017
Home / Destaques / Governo do RN não tem plano para barrar violência em Mossoró
Robinson cita investimentos que ainda não apresentaram resultado e expansão do Ronda Cidadã figura como dúvida
Robinson cita investimentos que ainda não apresentaram resultado e expansão do Ronda Cidadã figura como dúvida

Governo do RN não tem plano para barrar violência em Mossoró

Em rápida passagem pela cidade de Mossoró na manhã desta sexta-feira o governador Robinson Faria deixou claro que o governo não tem um plano montado para barrar o cenário de violência desenfreada que atinge a cidade há vários meses.

Indagado sobre as medidas que poderiam ser adotadas para coibir o cenário desenfreado de violência que atinge a cidade, o Governador apresentou uma lista de investimentos encaminhados que até o momento não resultaram em mudanças no cenário.

Robinson destacou que o Governo prepara novos investimentos, mas nenhum que possa garantir tranquilidade a sociedade mossoroense a curto e médio prazo.

“Eu já trouxe pra cá o Ronda Cidadã. Vamos incrementar o Ciosp de Mossoró integrando ao Ciosp de Natal. Vamos aumentar o número de câmeras, e estou tentando ver se com este concurso que estou fazendo para aumentar o efetivo posso fazer um segundo
Ronda Cidadã em Mossoró”, destaca Robinson.

Tido como a grande arma do Governador para conter o clima de insegurança que atinge Natal e Mossoró o Ronda Cidadã foi instalado em Mossoró para atender apenas seis bairros. A expansão do programa na cidade depende do aumento do efetivo da PM e não estaria garantida pelo Governo.

“De repente pode ocorrer ainda no meu mandato. Estou tentando. Não vou dizer que está certeza. mas gosto muito de ousar. Gosto da ousadia, de buscar coisas impossíveis. Já falei com a secretaria Sheila e ela já tá sabendo do pensamento do Governador. Quero ver se dá tempo de ter mais um Ronda Cidadã em Mossoró”, conclui Robinson.

Após equiparar o recorde da marca de cem homicídios registrada no último dia 17, e registrar um desenfreado numero de assaltos e invasão de residências, o município enfrenta o pior momento de sua história.

Os casos mais graves que estavam limitados a guerra entre facções e disputas entre traficantes de drogas, passam a contar com um número crescente de pessoas feridas a bala durante tentativa de assalto.

Os números se converteram num titulo indesejado.  Em recente pesquisa, a segunda maior cidade do Rio Grande do Norte aparece como a 18ª cidade mais violenta do mundo.