segunda-feira , 23 de outubro de 2017
Home / Destaques / Entrevista com Filemon Pimenta

Entrevista com Filemon Pimenta

Entrevista realizada por Geraldo Maia e Ricardo Alfredo com Antônio Filemon Rodrigues Pimenta compõe o volume primeiro da Coleção Academia Mossorense de Letras
 
José Romero Araújo Cardoso

José Romero 

 
          Antônio Filemon Rodrigues Pimenta é um sertanejo autêntico e fiel, não obstante ter nascido em Natal/RN a sete de março de 1948, um “acidente geográfico”, como bem gosta de salientar, pois devota amor incondicional a Mossoró e tudo que diz respeito à História local.

          Eu conheci Filemon em 13 de junho de 1994, quando de palestra que proferi no ensejo de evento cultural promovido pela Sociedade Brasileira de Estudos do Cangaço no Museu Lauro da Escóssia, antiga cadeia pública, onde o renomado escritor e historiador mossoroense desenvolvia brilhante trabalho como pesquisador e funcionário público municipal.

          Dotado de gentileza, educação e simplicidade natas, qualidades que admiro bastante nos seres humanos, logo me aproximei de Filemon Rodrigues e passei a tê-lo como amigo próximo, principalmente quando de minha fixação efetiva na capital do oeste potiguar, onde Monsenhor Huberto Bruenning batizou-me, em novembro de 1970.

          Felicidade ímpar configurou-se quando recebi do amigo Filemon exemplar de plaquete na qual está transcrita magnífica entrevista por ele concedida aos notáveis intelectuais Geraldo Maia e Ricardo Alfredo ao Programa Academia em Foco, transmitido ao vivo todas as sextas-feiras, pela TV Câmara de Mossoró.

          A Academia Mossoroense de Letras, da qual Filemon Rodrigues ocupa o cargo de Vice-Presidente na atual gestão, capitaneada pelo renomado escritor Elder Heronildes, traz marca indelével da saga cultural do saudoso Feiticeiro das Letras, pois foi fundada em 25 de setembro de 1988, data natalícia do eterno mecenas Jerônimo Vingt-un Rosado Maia.

          A coerência das perguntas, intercaladas com precisão das respostas do entrevistado, levam-nas a vislumbrar os bons combates e lutas magistrais que Filemon vem travando em prol da edificação cultural na Terra de Santa Luzia do Mossoró.

          Filho caçula de uma família numerosa, Filemon Rodrigues revela que enfrentou dificuldades para poder estudar, frutos de males que o acometeram na infância e juventude,  resultando na impossibilidade de concluir o segundo grau no tradicional Colégio Diocesano Santa Luzia.

          A produção literária extraordinária dinamizada pelo entrevistado mostra-nos que títulos acadêmicos não influenciam exacerbadamente quando a determinação em contribuir para a cultural destaca-se na filosofia de vida abraçada por pessoas iluminadas e escolhidas.

          A influência do tio-avô, Padre Mota, foi de suma importância para que o entrevistado, membro da AMOL, SBEC, COMFOLC, ASCRIM e AMLERN, frisando que foi iniciado na Maçonaria em três de abril de 2011, tomasse encaminhamento no mundo das letras, pois a biblioteca deste serviu de suporte para futuras iniciativas intelecto-culturais desenvolvidas por Filemon Rodrigues.

          O contato com Lauro da Escóssia também revelou-se promissor para esse desiderato, tendo em vista que, dínamo cultural impressionante, o célebre jornalista mossoroense incentivava a inserção no fascinante universo literário.

          De parabéns estão a AMOL, Mossoró e a nobre casta que se dedica ao fomento cultural na heróica e resistente Terra de Santa Luzia, pois a publicação de notável entrevista enriquece magistralmente formidável repositório de informações históricas que temos disponível sobre a História da nossa terra e de nossa gente maravilhosa, sendo necessário clamar para a continuidade dessa tendência fabulosa em preservar a memória local.

José Romero Araújo Cardoso. Geógrafo. Professor-adjunto IV do Departamento de Geografia da Faculdade de Filosofia e Ciências Sociais da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte. Membro da SBEC, ICOP e ASCRIM.