Vereadores protestam na Câmara contra reajuste de 50% na passagem de ônibus em Mossoró

Vereadores da oposição protestaram ontem, no plenário da Câmara Municipal, contra o reajuste de 50% na tarifa de ônibus em Mossoró. O vereador Genivan Vale (PR) considerou o aumento obscuro e afirmou que acionará o Ministério Público Estadual.

Tomaz Neto (PDT) acrescentou que o acionamento do MP é necessário, a fim de proteger os usuários do transporte público, mas que a Promotoria de Defesa do Consumidor poderia agir sem ser formalmente provocado, haja vista a projeção que o assunto ganhou na cidade, através da mídia e de protestos na rua, ontem.

O vereador Francisco Carlos (PV) defendeu apresentação de planilha financeira pela empresa que explora o serviço (Ocimar Transportes), para que se avalie se o reajuste é realmente necessário. “Também não concordamos com a forma como o aumento foi comunicado, somente através de avisos afixados nos ônibus”, disse.

Os vereadores questionaram o fato de o reajuste não ter passado pela Câmara. “Fomos pegos de surpresa. Esta Casa não foi comunicada sobre o aumento”, frisou Genivan. O vereador Nacízio Silva (PTN), que presidia a sessão, confirmou que o reajuste não passou pela Câmara, e que não havia decreto do Executivo em tramitação sobre o caso, daí, a necessidade de mais informações sobre o reajuste.
Genivan Vale sugeriu que a mesa diretora cobre explicações da Prefeitura e da empresa a respeito do reajuste. O líder do governo na Câmara, vereador Soldado Jadson (SD), informou que a oficialização do reajuste das tarifas será publicado na edição de amanhã do Jornal Oficial de Mossoró (JOM).

“Então, como não está oficializado, que o reajuste cobrado ontem seja devolvido, e que o de hoje seja suspenso”, sugeriu Francisco Carlos. Os vereadores consideram injusto o aumento da passagem principalmente porque, em julho deste ano, a Prefeitura já concedera subsídio de 33% para a empresa Ocimar Transportes.

Os vereadores entendem que o usuário – em geral, estudantes e pessoas com baixo poder aquisitivo – não merece ser sacrificado com o aumento, se a Prefeitura já paga parte do serviço através do subsídio. Os vereadores Lairinho Rosado (PSB) e Vingt-un Neto (PSB), presentes à sessão, também se manifestaram contra o aumento.