Um fato para refletir

A procissão de Santa Luzia entrou para a história em 2015 com o episódio da vaia direcionada ao prefeito Francisco José Jr. A vaia, que já era esperada, motivou o prefeito a levar um discurso escrito, já com uma defesa, o que tornou o episódio ainda mais emblemático. É preciso destacar alguns detalhes do episódio. A vaia, diferente do que apregoaram como defesa, não foi orquestrada. A população de Mossoró realmente está insatisfeita. O cenário que envolve as vaias tem como base uma insatisfação que é real e crescente. Falta habilidade na condução do processo. Podemos recorrer aos casos envolvendo camelôs e taxistas intermunicipais e até mesmo o episódio registrado segundos após as vaias do domingo. Ao receber o projeto de construção do Santuário de Santa Luzia, o bispo dom Mariano Manzana fez questão de deixar claro que encaminhou um documento no início do ano para que a igreja pudesse discutir o projeto e até o domingo não havia recebido resposta. O bispo se disse surpreso com a conclusão do projeto e encerrou seu “agradecimento”  com um frio: “Vou olhar”. Não vou entrar nos pormenores da gestão do prefeito. Mas já passou da hora de alguém próximo alertar o governante. Não adianta fazer o certo enquanto as pessoas só captam o “errado”. O governo Silveira desmoronou nas constantes falha das relações institucionais.

Distanciamento
Para completar o início de semana complexo do prefeito Francisco José Jr, o vice-prefeito Luís Carlos voltou a requentar o tema do “distanciamento político” com o chefe do Poder Executivo. O prefeito terá muitas dificuldades para garantir uma unidade básica do seu governo que caminha para iniciar o ano isolado.

Preocupante
Realidade mais do que preocupante. Iniciamos um ano de campanha política com um governo em dificuldades que tende a acumular ainda mais dificuldades. A população, que precisa do básico para seguir com suas vidas, paga um preço muito alto. Teremos um ano de 2016 ainda mais difícil do que 2015.

Cachimbo da paz
Uma reunião ontem garantiu a permanência da Ambev no Rio Grande do Norte. Em reunião mantida com o governador Robinson Faria foi definido que o grupo ampliará a central de distribuição e garantirá a modernização da atual fábrica, situada em Extremoz, região metropolitana de Natal. A Ambev conseguiu o que queria.

Comitiva
A reunião teve as presenças do deputado federal Fábio Faria, dos secretários de Estado do Planejamento, Gustavo Nogueira, do Desenvolvimento Econômico, Flávio Azevedo, do adjunto da Tributação, Fernando Amorim, e do diretor de relações governamentais da Ambev, Disraelli Galvão, e o gerente de tributação da empresa, Felipe Amaral.

“Emburrecidos”
A classe política brasileira parece ter ”emburrecido”. Cansaram o povo com manifestações, guerras pelo poder e achavam que iam lotar as ruas a partir da mudança de posição de um presidente da Câmara encurralado. O governismo brasileiro está perdido. A oposição mais ainda.

Despedida
Fim de semana de despedida na cidade de Caraúbas com a perda do amigo Miltinho Câmara. Miltinho, que há anos comandava o clube da AABB local, partiu de forma inesperada a partir de um acidente, comovendo a sociedade do Médio Oeste. O sepultamento mostrou o quanto Miltinho era querido. Nossa solidariedade a Danusa, filhos e familiares.