TOQUE ESPORTIVO : HORA DE SEPARAR OS HOMENS DOS MENINOS

POR SÉRGIO OLIVEIRA

Futebol é coisa séria, não cabe mais abnegado, tem que ter dirigente e esse não pode ser mero torcedor, tem que ser um profissional gestor. Do contrário, se o barco não afundou ainda, ele vai afundar. E, se por acaso, já se encontra no fundo do mar, vai continuar submerso. Dito isso quero me reportar ao Campeonato Potiguar da Série B, que começa em 12 de setembro e, por enquanto, o Mossoró Esporte Clube – o MEC, larga na frente mais uma vez e já anuncia quando começa a reunir seus jogadores, 03 de agosto. Os trabalhos já começaram com a contratação de treinador e a montagem do elenco. Como diz a manchetinha, é hora de separar os homens dos meninos. E isso não conta a idade, e sim as atitudes. Se por um lado os meninos entregam os pontos, os homens acumulam. Assim vejo a diretoria do MEC ocupada por pessoas que entendem da responsabilidade de gerir um clube de futebol. O que separa os meninos dos homens, as meninas das mulheres nos negócios e na vida, e no futebol não é diferente, é a coragem de se planejar rumo ao objetivo que se pretende atingir. É preciso ter paciência para tudo o que tem que ser feito pra atingir a meta desejada, e ainda, aprender com os erros e assim melhorar sua caminhada. Se não cuidar de tudo isso com foco e trabalhando em grupo, a tendência é o fracasso para aqueles que insistem no individualismo, ou seja, pensa mais na vaidade pessoal do que no verdadeiro foco de um gestor, de um dirigente, que é o clube. No futebol profissional não existe mais espaço para os amadores, é hora de separar os homens dos meninos.

 

SELEÇÃO BRASILEIRA NA UTI

 

Faz tempo que a Seleção Brasileira entrou na UTI e não consegue sair. E nós não perderemos tempo citando aqui um dos momentos que retrata bem essa realidade, a goleada sofrida no jogo contra a Alemanha na Copa disputada em “terras brasilis”. A situação é mais grave, pois só comentam a seleção quando essa disputa algum jogo, seja ele oficial ou não, depois calam o assunto como se nada de ruim estivesse acontecendo e tudo pode ser resolvido a qualquer momento. Não é assim que funciona.

 

Para recolocar o futebol brasileiro no patamar de respeito, de conquistador, é preciso mais, é preciso planejamento. E isso não acontece. Uma das propostas para tentar mudar de forma positiva, por exemplo, será avaliar até mesmo a possibilidade de usar, a depender do desempenho, a seleção olímpica como base. É uma ideia. O que não pode é esperar o período da próxima Copa do Mundo, convocar um amontoado de jogadores e passar novo vexame dentro de campo. A seleção hoje não planeja, não treina e, consequentemente, não joga nada. Se for diferente disso, me diga e me convença.

 

PRIORIDADE

 

No Grêmio o treinador Renato Gaúcho adotava a política da prioridade de competições, ou seja, nem sempre utilizada o time principal nos seus jogos. E no Flamengo, isso será possível depois da sequência de conquistas que o time vive? Minha opinião, é pouco provável que isso aconteça. Nesse primeiro momento podemos até afirmar que Renato não irá se arriscar, pois precisa conquistar o torcedor com vitórias e até um bom futebol. Isso posto, se torna impossível atingir essa meta se começar a mudar o time a cada jogo disputado. Quer saber a verdade: O torcedor do Flamengo quer sim mais um brasileirão, chegar na final da Libertadores e também disputar o título da Copa do Brasil. Então, Renato vai querer se arriscar mudando o time e priorizando alguma dessas competições?

 

ANTECIPANDO

 

Potiguar trabalhar firme rumo a 2022 em duas frentes. Uma delas tem como foco principal a base do time profissional de futebol para a próxima temporada e na outra o clube resolveu reativar o seu departamento de futsal. Nos dois casos um ponto em comum, a parceria com a Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa). Além do campo da instituição, o alvirrubro passou a utilizar também a quadra do seu ginásio de esportes, aliás, com boa estrutura. Sobre o futsal outra novidade foi a definição dos atletas selecionados para compor o grupo. Tomada essa providência, é hora de começar a segunda fase, os treinos. Votos de sucesso no futsal e no futebol com as categorias Sub-15 e 17. As informações são do assessor de comunicação, Marcelo Diaz.

 

INTERESSE

 

Nada contra os jogos, apenas analisando a hipocrisia de quem acha que contamina aqui e manda brasileiros e brasileiras para o foco. As pessoas que falavam em contaminação na Copa América ou em um passeio de moto, falam que os Jogos Olímpicos “despertam o melhor de todos nós”, sem comentar muito o aumento nos casos de contaminação pela Covid-19 entre os envolvidos nos Jogos Olímpicos de Tóquio. Lembro que nos anos 70 era comum ouvir que o governo da ditadura aproveitava os jogos da seleção brasileira de futebol para embriagar o povo com a história do “pais de chuteiras” e “pra frente Brasil, salve a seleção”. Agora é a iniciativa privada, interessada no dinheiro que rende as Olimpíadas que sustentam sua realização, apesar do quadro geral da doença. Só para mostrar ao público que tudo passa por interesses, seja ele político partidário ou financeiro.

 

FLORES

 

Saudades das magrelas cruzando RN-117. Setembro se aproxima e ainda não temos a certeza se teremos ou não a disputa da Prova Ciclística Governador Dix-Sept Rosado no dia 30 do mês das flores. Que a primavera nos traga o desabrochar de novos tempos, cada vez mais livres das ameaças da covid-19 e, se possível, possamos acompanhar as pedaladas de esperança na prova ciclística mais charmosa do Rio Grande do Norte disputada, tradicionalmente, entre as cidades de Governador Dix-Sept Rosado e Mossoró. Por isso a citação de saudade da RN-117 no começo da nota. É verdade que existe a opção do circuito de rua no centro de Mossoró, porém a prova de estrada é bem mais atrativa. Tudo vai depender do controle da pandemia. A prova é organizada pela Prefeitura de Mossoró.

 

“DOIDO”

 

Depois de uma demissão sem motivo aparente, do treinador Marcelo Cabo, pois não tem como fazer mágica com o elenco que dispõe, a diretoria do Vasco já definiu quem assumirá o cargo. Trata-se do gaúcho Lisca Doido. Na base da piada pronta, andam dizendo que ele ficou maluco de vez. Depois de rejeitar um convite do Botafogo-RJ, e não vingar sua pretensão de trabalhar no mundo árabe, resolveu aceitar a proposta vascaína e assinar um contato até o mês de dezembro. Lisca vem de um trabalho de sucesso com o América Mineiro, conseguindo o acesso da Série B para a Série A, a mesma missão que terá agora no Vasco. Com uma diferença, no clube carioca a cobrança é bem maior e, para completar, não tem dinheiro para grandes investimentos. Terá que seguir com o que tem além da insegurança com a diretoria.

 

Rapidinhas

 

  • SITUAÇÃO difícil no Cruzeiro-MG. Até o sinal da TV a cabo foi cortado por falta de pagamento.

 

  • INGLÊS Lewis Hamilton vai colocando os carros em seu lugar. Voltou ao ponto mais alto do pódio na F-1. É o melhor.

 

  • ANTES da solenidade de abertura, já começou os Jogos Olímpicos de Tóquio. Força Brasil!

 

  • SERÁ que teremos final de ouro brasileira no surf no Japão? Gabriel Medina e Ítalo Ferreira, os favoritos.