TJ afirma que sede própria resultará em economia de R$ 600 mil com aluguéis

O Tribunal de Justiça do RN realizou nessa terça-feira (5) a entrega de parte das instalações da nova sede do TJRN, a primeira sede própria nos 128 anos de história do Poder Judiciário potiguar. O prédio está situado na avenida Jerônimo Câmara, no bairro de Nossa Senhora de Nazaré, zona Oeste de Natal.

Quando ocorrer a transferência definitiva do TJRN para o edifício, as unidades instaladas no Complexo Judiciário de Potilândia irão, gradativamente, para o prédio da Praça Sete de Setembro e para o do antigo TRE, ambos na Cidade Alta. A previsão é de que R$ 600 mil mensais sejam economizados a partir do remanejamento de unidades entre os prédios próprios e cedidos ao TJRN.

Caberá à administração do desembargador Vivaldo Pinheiro, que tomará posse nesta quinta-feira (7) na Presidência do TJRN, realizar pequenos ajustes na sede, obter alvarás e habite-se e planejar a logística para a transferência definitiva do Tribunal para sua nova casa.

Após a mudança do Tribunal para o novo prédio, a previsão é de atendimento, na sede própria, a um público entre 700 e 800 pessoas, diariamente, resultando também em um impulso econômico, arquitetônico e de desenvolvimento para os arredores vizinhos.

“O Poder Judiciário potiguar passa a concretizar um sonho secular, o de entregar sua sede própria, construída com esforço e dedicação de todos que fizeram e fazem o Tribunal de Justiça do Estado”, afirmou o desembargador presidente do TJRN João Rebouças.

Até se mudar em definitivo para o novo prédio, o TJRN terá passado por cinco diferentes sedes, todas na Cidade Alta, sendo a atual sua casa desde a década de 1970. Nesse período, o Poder Judiciário evoluiu e cresceu para fazer frente à demanda constante da população, e a atual sede, mesmo após diversas adaptações, não comporta mais a estrutura da Justiça.

João Rebouças destacou o esforço e dedicação de todas as gestões anteriores para tornar possível a construção, a partir da doação do terreno ao Tribunal pelo Município de Natal durante a gestão do desembargador Amaury Moura (2005-2006), até o início da edificação durante a gestão do desembargador Expedito Ferreira, no biênio 2017-2018.

O novo imóvel do TJRN é composto por um edifício administrativo, um edifício-garagem e um auditório, somando uma área de 30.852 m² construídos. O projeto foi desenvolvido pelo Departamento de Engenharia e Arquitetura do TJRN e construído pela empresa Contérmica Engenharia.

A parte administrativa ocupa cerca de 12 mil m² e é distribuída em 12 pavimentos que abrigarão todas as secretarias administrativas, incluindo aquelas que hoje se encontram em imóveis anexos, além dos setores de apoio como Auditório, Ouvidoria, Data Center, Correios, agência bancária e segurança institucional. O edifício-garagem conta com 592 vagas para automóveis e 50 para motocicletas.