Tio Chico Muniz

Tio Chico Muniz era um jovem de 83 anos. Vaidoso, mantinha o cabelo sempre preto igual à asa da graúna. Totalmente o oposto de meu pai, o velho Pedro, seu irmão. Tio foi um dos primeiros fotógrafos de Iracema, talvez o primeiro. Seu acervo se confunde com a própria história da cidade.

Lembro dos meus tempos de menino, quando ele nos colocava no seu possante Maverick amarelo, eu e os primos e dava um rolé e pagava uma rodada de sorvete para todos. Uma festa.

Destemido, suas proezas nas brigas de rua se transformaram em lendas urbanas. Namorador e inquieto, deve ter deixado alguns corações partidos por onde passou. Forte, rei das pescarias, garimpeiro. Um gigante.

Recentemente venceu um câncer, encarou de frente, mas o Covid-19 foi mais forte, o venceu, foi pro céu meu tio, cantar sonatas de amor, ser anjo.