Tendência externada

A situação da presidenta Dilma que já não era confortável se agravou ontem com a composição que avaliará o pedido de impeachment que pede a interrupção do seu mandato. A chapa composta por opositores ao governo venceu após receber 272 votos, contra 199 dos governistas. A escolha se deu em votação secreta realizada ontem. O cerco começa a se fechar e com a perda de apoio do PMDB, que ainda pode se agravar, é cada dia mais sólida a possibilidade de afastamento da Presidenta da República, que terá que tirar coelho da carola para conseguir levar seu mandato a frente. Quem diria.

Composição

A chapa “Unindo o Brasil” é composta por parlamentares contrários ao governo da presidente Dilma e dissidentes de partidos da base governista. Ao todo são 39 deputados das siglas PSDB, Solidariedade, Democratas, PPS, PSC, PMDB, PHS, PP, PTB, PEN, PMB, PSB e PSD.

Grupo

A comissão especial que analisará o pedido de afastamento da presidente Dilma será formada por 65 deputados titulares e 65 deputados suplentes. Os partidos que não indicaram membros na chapa vencedora serão convocados a apresentar as indicações para completar as vagas.

Do RN

Entre os indicados pelo PSDB para participar do colegiado, está o deputado federal natalense Rogério Marinho, que será um dos suplentes da legenda. Rogério tratou o momento como o começo do fim de um governo corrupto e incompetente, que tem causado males ao País.

Protesto

Em meio a definições importantes, serão realizadas grandes mobilizações no próximo domingo para reforçar a necessidade de interromper o mandato da presidenta Dilma. Em Natal, o protesto deste domingo será mais uma vez nos arredores do Midway Mall. O movimento na capital potiguar começará a partir das 15 horas.

Ética

Ainda na Câmara Federal, o Conselho de Ética remarcou para às 13h30 de hoje, a votação do parecer preliminar do deputado Fausto Pinato (PRB-SP) sobre o pedido de cassação do presidente Eduardo Cunha (PMDB-RJ), por quebra de decoro parlamentar. A reunião de ontem durou pouco mais de três horas e foi suspensa com o início da ordem do dia no plenário da Casa.

Tempo
Como o Regimento Interno da Câmara impede a votação nas comissões quando começa a ordem do dia, a reunião do Conselho de Ética foi encerrada antes da votação. Cunha ganha tempo num momento importante. Aproveita a extensão para somar forças e impedir seu afastamento. .