SP diz que Cuca não é prioridade e que recusou Aguirre há uma semana

Diego Aguirre manifestou interesse em treinar o São Paulo, negociou com a diretoria do clube paulista, mas foi anunciado na quinta-feira (3) como novo técnico do Atlético-MG. Cuca esperava rescindir com o Shandong Luneng, da China, conseguiu a rescisão, mas não avançou nas conversas com o clube tricolor. Por que o São Paulo não fechou antes com Aguirre e por que não fecha agora com Cuca?

A reportagem procurou a diretoria do São Paulo para tentar responder tais perguntas. A alta cúpula trata em sigilo o processo de escolha do novo técnico. A não ser por comentários em uma entrevista coletiva do vice de futebol Ataíde Gil Guerreiro e por outros em pronunciamento do presidente, não houve mais declarações públicas sobre o tema. Informalmente, porém, a reportagem obteve algumas respostas.

Quem participa do processo de escolha afirma agora que Cuca não é prioridade. Antes tido como o único nome de consenso entre o presidente e os dirigentes do departamento de futebol, o treinador que agora rescindiu contrato na China e está livre não é, segundo a diretoria, a primeira opção.

Há um terceiro nome, que foge às opções já citadas, e que não é revelado pela diretoria do São Paulo. Segundo os envolvidos, não se trata do argentino Jorge Sampaoli, da seleção chilena, que foi consultado pelo clube paulista na semana passada e acenou negativamente sobre assumir o clube do Morumbi, devido à incompatibilidade salarial e a uma impressão ruim, de vazamento de informações, que ficou da negociação entre as partes em abril, após a demissão de Muricy Ramalho e antes da chegada de Juan Carlos Osorio.