Sindicato discutirá com Allysson Bezerra débitos pendentes da gestão anterior

Entidade solicita audiência com o prefeito

Nesta segunda-feira (04), o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Mossoró (Sindiserpum) repassou ao prefeito Allyson Bezerra um ofício protocolado acerca dos débitos que a Prefeitura de Mossoró tem com os servidores municipais. No documento, consta a solicitação de uma audiência com o gestor para debater essa e outras questões.

De acordo com levantamento realizado pelo sindicato, estão pendentes os pagamentos do 13º salário dos servidores que recebem mais de R$ 3 mil, diárias operacionais da guarda municipal, Intrajornada do Trânsito, insalubridade e insalubridade COVID-19. A associação afirma que outros direitos também foram negados, como: concessão de férias, pagamento de rescisões dos aposentados e progressões funcionais.

“Esperamos que o prefeito revele a sua real abertura de diálogo, bem como o interesse em valorizar o serviço público através de ações concretas. Aguardaremos a audiência”. Informou Marleide Cunha, presidente do Sindiserpum.

Na ocasião, também foi protocolada a reivindicação da Educação, suscitada em assembleia no dia 23 de dezembro onde foram destacados tais pontos:

– Cumprimento do 1/3 da jornada extraclasse de acordo com a Lei Federal nº 11.738/2008;

– Retorno das aulas presenciais apenas após a vacina;

– Reforma nas escolas e adequação ao ambiente educativo;

– Gestão democrática com eleição direta para diretores(as);

– Implementação da política de valorização dos profissionais da Educação com revisão do Piso Salarial;

– Retorno do desconto em contracheque da contribuição sindical mensal;

– Atualização do auxílio deslocamento para profissionais da zona rural;

– Publicação das progressões funcionais de classe e nível;

– Assento para o Sindiserpum no Conselho Municipal de Educação;

– Apresentar calendário de pagamento do ano 2021;

– Pagamento da rescisão dos aposentados;

– Concurso público;

O sindicato também realizará assembleia com os Agentes Comunitários de Saúde (ACS) e Agentes de Combate às Endemias (ACE) para construção da pauta de reivindicação, considerando que uma lei federal determinou janeiro como data-base do reajuste da categoria.