Sesap publica nota técnica com orientações sobre testes diagnósticos do Covid-19

SESAP/ASSECOM

Com o objetivo de evitar a evolução rápida de novos casos do Cononavírus e garantir a assistência das pessoas vulneráveis e casos graves, a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), por meio da Subcoordenadoria de Vigilância Epidemiológica (Suvige) publicou, nesta quarta-feira (25), uma nota técnica orientando os critérios para indicação de exames diagnósticos para o  Covid-19.

De acordo com a subcoordenadora da Suvige, Alessandra Lucchesi, “a nota foi elaborada devido ao crescimento do número de casos excluídos, o que é um fator preocupante, pois significa que pessoas que não preenchem os critérios de caso suspeito vêm sendo atendidas e seus exames estão sendo coletados, gerando o aumento da concentração de atendimento nos serviços de saúde, ao passo que esses insumos devem ser priorizados aos pacientes que de fato se enquadrem na definição de caso suspeito. Isso ressalta a necessidade de sensibilização da rede assistencial dos municípios para os critérios de definição de caso, de modo a tornar mais efetivo o processo operacional de notificação e investigação dos casos”.

Segundo a nota técnica, o paciente que atende aos critérios para caso suspeito de Covid-19 são os que, por critérios clínicos, apresente febre (acima de 37,8°) e pelo menos um sinal ou sintoma respiratório – tosse, dificuldade para respirar, produção de escarro, congestão nasal ou conjuntival, dificuldade para deglutir, dor de garganta, coriza, falta de ar, entre outros -, e simultaneamente, por critérios epidemiológicos, nos últimos 14 dias antes do início dos sintomas, tenha histórico de viagem à área com transmissão (considerar outros países e demais estados brasileiros). Também se enquadra como caso suspeito, o paciente que apresente febre (acima de 37,8°) ou pelo menos um sinal ou sintoma respiratório citado e, nos últimos 14 dias antes do início dos sintomas, tenha tido contato próximo com casos confirmados ou suspeitos para Covid-19.

Os profissionais de saúde devem notificar os casos suspeitos e orientar o isolamento domiciliar e contatos pessoais por 14 dias, com monitoramento pela atenção básica e vigilância epidemiológica do município de residência.

Conforme a nota, devem ser coletadas apenas as amostras dos pacientes que se enquadrem na definição de caso suspeito e pertençam ao grupo de risco: com comorbidades (diabetes, hipertensão arterial, cardiopatia, doença pulmonar crônica, neoplasias malignas e gestação de alto risco), pacientes acima ou igual a 60 anos, profissionais de saúde e pacientes internados. As amostras deverão ser encaminhadas para o Lacen.

Para esses pacientes deve ser iniciado o tratamento com Fosfato de Oseltamivir, de acordo com protocolo clínico publicado no site da Sesap.

Com relação a pacientes hospitalizados com quadro de síndrome gripal que apresente falta de ar ou desconforto respiratório, deve ser feito o isolamento com restrição de visitas e de profissionais em contato com o paciente.

A nota técnica apresenta os critérios que deverão ser utilizados até a próxima sexta-feira (27), quando será feita uma nova análise do cenário epidemiológico e outras orientações poderão ser dadas.

Clique aqui para acessar a nota.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *