Sérgio Oliveira

Nos últimos dias, principalmente com a proximidade de uma nova temporada, tem se discutido muito o Programa de Modernização do Futebol, o Profut, aprovado pelos deputados federais e sancionado pela presidente Dilma Rousseff. De forma resumida, eis os deveres dos clubes que aderirem a proposta que lhes garante o parcelamento  das  dívidas  com  a  União:  Publicar demonstrações contábeis padronizadas e auditadas; Pagar em dia as obrigações tributárias, trabalhistas e direito de imagem; Investir no máximo 80% da receita bruta com futebol; Manter investimento mínimo e permanente nas categorias de base e no futebol feminino; Respeitar as regras de transparência da Lei Pelé e; Não antecipar receitas previstas para mandatos futuros a não ser em caso de situações específicas. Por fim, alertando mais uma vez, que as regras mudaram e é preciso ficar atento, se você é dirigente de um clube profissional.

PELEJA

E a peleja do Vasco terá mais um capítulo neste domingo. Começando a rodada na última posição, na zona do rebaixamento, o time de Eurico Miranda joga em casa contra um dos candidatos à vaga no G4, o Grêmio. Aliás, mesmo fora de casa, os gaúchos precisam da vitória, caso contrário podem perder a posição entre os quatro melhores.

ESFORÇO
Temos noticiado as dificuldades que irão encontrar dirigentes de Potiguar e Baraúnas, recentemente eleitos, porém, não podemos deixar de reconhecer o esforço de todos eles. Então, para o empresário que gosta de investir, abram suas portas, mentes e cofres analisando com carinho a proposta de parceria que receberão. Não deixemos aumentar a estatística do “Mossoró já teve”.

ACERTOU
Esta semana ouvi a notícia de que a diretoria do Potiguar resolveu manter em sua comissão técnica, independente de quem venha a ser o treinador, o professor Edinho Cardoso. Digo, sem perder tempo, que o presidente Benjamim Machado acertou. Conhece do assunto e é dedicado ao que faz, principalmente no trato com as divisões de base. Bem entregue.

APOIANDO
Mesmo não tendo conseguido êxito em sua pretensão de assumir a vice-presidência do Baraúnas, o Marquinhos da Toca acabou se tornando em bom exemplo. Tem apoiado todas as iniciativas da diretoria eleita, sem o menor ressentimento do resultado da eleição que não lhe foi favorável. Isso prova de suas intenções exclusivas para o clube, e não projetos de cunho pessoal.

DÍVIDA RECONHECIDA

Como já estamos próximos do penúltimo mês do ano, e a previsão é de que o Campeonato Estadual comece em janeiro, já pode ser batido o martelo e afirmar, teremos mais uma temporada com o estádio Nogueirão dividido pelo muro da vergonha. O lance de arquibancadas do lado do memorial Dequinha e do minicampo Damião Corina, seguirá interditado.
Lamento, além do visual negativo, pelo esforço de tantos desportistas que no passado conseguiram unir forças e construir todo o anel de arquibancadas. Hoje, apesar do crescimento da cidade, o espaço no estádio diminuiu e não existe nenhuma sinalização de que voltará um dia. Teremos eleição em 2016 e, será que, mais uma vez o Nogueirão será bandeira de campanha. Apesar do muro da vergonha? Novas promessas, já que para reforma o tempo não favorece.

CLÁSSICO

Confronto digno de decisão de campeonato, hoje desperta a atenção pela força das duas torcidas e pela boa campanha de apenas um deles. Trato aqui do clássico entre Corinthians e Flamengo, as duas maiores torcidas do Brasil. Mas, pelo momento, apenas o time paulista desperta maior interesse, pois defende a liderança da Série A. Já os cariocas vivem apenas a luta para se manter em zona intermediária. Mas, deixando de lado a classificação, é sempre um grande jogo.

MAIS uma vez especula-se a saída de Messi do Barcelona. Iria jogar na Inglaterra.
OS Estados Unidos abraçaram de vez a velocidade da Fórmula 1.
NAS Olimpíadas, o chamado “pacote vip”, para assistir, custa até R$ 37 mil. Dizem, é a melhor opção.
GUERRERO, Fla, reencontra ex-clube, Corinthians, jogando em São Paulo.