Sérgio Oliveira

Não discuto aqui a qualidade dos jogadores, mas sim do grupo em relação a competição agora que é mais longa, mais adversários e jogos mais difíceis. Isso posto, creio que a diretoria do ASSU não esteja confundido beija-flor com helicóptero ao montar o elenco do Campeonato Potiguar 2016 baseado apenas no grupo que disputou a segunda divisão. Se for somente assim, creio que seja uma proposta de risco. Não podemos comparar um campeonato com 9 equipes, todas profissionais, com um torneio formado pela metade do número de participantes na divisão principal, e equipes semiprofissionais. Em todo caso, como o dinheiro anda curto e o elenco ainda não foi fechado, pode ser que algo de diferente seja feito, mas, até o momento a base é completamente aquela campeã da divisão de acesso.

FALANDO

Os principais atletas do mundo das lutas no Brasil estão falando muito e lutando pouco. Parece mais artistas de TV que precisam apenas manter a boa aparência. Estão esquecendo de focar exclusivamente seus adversários. Foi assim com Anderson Silva, que relaxou, e agora com José Aldo que, numa expressão vulgar, com o devido respeito e licença do leitor, “levou um bufete no tronco da orelha e caiu de cu trancado”.

ESPANTANDO
No Potiguar, acreditando, como eu acredito, que não existe nenhum irresponsável em sua diretoria, as últimas horas mostram que espantaram de vez a ideia de não disputar o campeonato de 2016 no cenário estadual. Se fosse diferente, não estariam seus administradores anunciando as contratações que oficializaram no final de semana. Então, levanta, sacode a poeira e, ao trabalho para formar um time competitivo.

VERSÕES
No caso movido na Justiça do Trabalho contra o ABC, advogados e cliente estão apresentando versões diferentes. O advogado Felipe Sousa Rino, da Federação Nacional dos Atletas, diz que seu cliente cobra uma dívida de R$ 1 milhão, o próprio atleta Neto Berola teria dito que não é tanto assim. O jogador inclusive negou que esteja fazendo essa cobrança. Assim, é melhor a assessoria jurídica do alvinegro procurar a própria Justiça para saber o que realmente existe contra si. E se existe.

DISPUTA
A disputa agora é na Justiça para se saber se haverá ou não eleição amanhã na CBF para escolha de um dos seus vice-presidentes. A vaga deixada por José Maria Marin, preso pela investigação sobre corrupção no futebol, gerou polêmica, com acusações de armação na CBF para eleger alguém da confiança do grupo que detém o poder na entidade. O caso foi parar na Justiça que suspendeu o pleito, mas a direção promete reagir para derrubar a liminar ainda hoje.

JOGADOR, UM TRABALHADOR

O jogador de futebol profissional é um trabalhador como outro qualquer. Independente da sua condição intelectual ou de formação universitária, é um trabalhador legalmente amparado como os demais, ou seja, com salários, carteira assinada, previdência, férias, enfim, trabalha para prover o seu sustento e, em muitos casos, também o sustento da família, por isso merece respeito.
Profissional bom e ruim existe em todas as categorias. Seja advogado, médico, empregado doméstico, mecânico ou engenheiro. Então, você pode defender maiores investimentos na educação, saúde e até apoio financeiro a uma instituição beneficente ou de caridade, mas, sem agredir outra categoria que tenha algum apoio da iniciativa pública ou privada. Dizer que investir em futebol é bancar um monte de vagabundos é coisa de quem perdeu a razão e não tem argumento para fixar uma ideia. E pior, são essas mesmas pessoas que criticam a ação extrema, e errada, de um terrorista. Dar-se a isso o nome de hipocrisia.

FAMÍLIA

Desde a história da “família Felipão”, que deu certo uma vez, é comum se ouvir treinador de futebol falando que formou uma família, ao reunir um grupo de jogadores para a disputa de um campeonato. E não deixa de sê-lo, afinal, serão, no mínimo, três meses de convivência, podendo ser ampliado, a depender do desempenho e seus resultados. Sendo assim, o treinador do Baraúnas, Givanildo Sales, já deu seu recado dizendo que a partir de agora forma uma  família com seu elenco no tricolor. Boa sorte.

VENDO Anderson Silva e José Aldo apanhar, lembro o quanto Pelé foi sábio: Foi tri mundial e se aposentou.
PODERIA ter jogado fácil a Copa de 1974. Mas, parou no auge e usufrui até hoje.
AOS poucos, diz o noticiário nacional, Eurico vai dispensando e ficando solitário no Vasco.
PODE complicar até a campanha do time na Série B. Anotem.