Sérgio Oliveira

Esse comentário foi publicado na edição de quarta-feira, 25, mas pela repercussão, resolvi republicar. Diz o seguinte: Lamentável, quando se fala em transformar o Brasil em um país Olímpico, Mossoró deixe passar o cavalo selado, dito popular para quando se perde uma boa oportunidade. Esta semana, no nosso programa “Esporte Legal” da TV Câmara, canal 16 na TCM, eu converso com professor Zairo Mariano de Azevedo que contou uma história que penaliza o esporte local. Mossoró havia sido contemplada com quatro Centros de Referências de Esportes Olímpicos, a serem construídos pelo governo federal. O município entraria com a doação do terreno, em uma obra, cada um do centros, orçada em R$ 4 milhões. Eis que, a administração local não deu nenhuma resposta à consulta feita e, por isso, Mossoró foi retirada do projeto. Alguém, desportista ou não, consegue medir o tamanho do prejuízo e do descaso? Em uma cidade onde o consumo de drogas e a criminalidade cresce no ritmo de um carro de Fórmula 1, dar-se ao luxo de abrir mão de tamanho benefício. Enquanto nossos gestores e, as vezes, até os opositores, não descerem do palanque político na luta pelo poder, o prejuízo maior fica com o município. Pensem nisso.

SAINDO

O jogo de ontem do São Paulo, além da ausência do goleiro e fase de aposentadoria Rogério Ceni, marcou também a despedida do atacante Luís Fabiano. Ele não confirma, mas seu destino pode ser a China, para vestir a camisa do time treinado pelo brasileiro Wanderlei Luxemburgo. Fabiano, que viveu uma relação de amor e ódio com o tricolor, diz que sai de cabeça erguida e, pela porta da frente.

SEMANA
Eu diria, semana produtiva nas atividades das diretorias de Potiguar e Baraúnas. Vários jogadores foram anunciados, inclusive, o que é bom, alguns deles já de contrato assinado. O processo deve ser acelerado neste final de semana, afinal, a apresentação de ambos foi marcada para o dia 10 de dezembro.

ENTREVISTA
No programa Esporte Legal, de amanhã, na TV Câmara, canal 16 na TCM, nossa convidada será a presidente do Baraúnas, Jozirene Ribeiro. Claro, entre os temas a serem abordados, falaremos sobre o plantel do estadual, mas também da campanha para revitalização da Toca do Leão. Se ligue, começa às 19h30. Pode ser visto ainda pelo www.cmm.rn.gov.br. No celular: www.cmm.rn.gov.br/tv.htlm.

INDEFINIÇÃO
De acordo com o que escreveu quinta-feira Niltinho Ferreira, do blob escrete de ouro, que acompanha o esporte na região do Seridó, indefinição é a palavra que cai bem no momento do Coríntians. Apesar do esforço do presidente Lobão Filho, a situação ainda é delicada em relação a participação do time no estadual. Segundo o blogueiro seridoense, o final de semana pode ser decisivo.

PREFEITO, DEPUTADO E O ABC

A presidência do ABC, as vésperas de um ano eleitoral, se transformou em objeto de desejo de alguns políticos e, o que me chama atenção, com mandatos. Com exceção do ex-presidente Judas Tadeu, os outros dois candidatos são oriundos da política partidária.
Cito aqui o prefeito de Serrinha, Fabiano Teixeira e o deputado do DEM, José Adécio que já registraram suas candidaturas. O candidato que é prefeito, inclusive, já avisou que deixa o cargo na prefeitura, se eleito, para presidir o clube. Mesmo na terceira divisão nacional, o alvinegro se tornou atrativo para a classe política.

REBAIXAMENTO

Hoje, quando fechar a rodada do Campeonato Brasileiro, pelo desenho, é possível que já tenhamos mais três rebaixados que irão se juntar ao Joinville-SC. É um quadro que se afunila pois chegamos a penúltima rodada e, dificilmente alguém escapará para tentar sobreviver até os confrontos finais. A tensão gira dentro e fora do campo.

O dinheiro já divide opiniões na Liga Sul/Minas/Rio. Fla quer cota maior e Flu quer igualdade.
EM Paris, jogadores dobram segurança após atentados. Tem brasileiro no lance.
E o Alecrim, alguém sabe alguma coisa? O Periquito trabalha no silêncio.
JÁ o adversário do Alecrim na estreia do estadual, América, continua contratando.