Sérgio Oliveira

Que o Campeonato Estadual para Mossoró não termine no dia 31 de janeiro, ainda no primeiro mês do ano. Nesta data estarão se enfrentando Potiguar e Baraúnas, nosso melhor produto, é verdade, mas não o único jogo importante. É o clássico, ótimo, mas não o fim de tudo. Digo isso pelo fato de, em terras do país de Mossoró, ser comum nossos cartolas trabalharem quase que exclusivamente para este jogo. Quem vence, dar-se por satisfeito não importando muito o que aconteça pela frente, e, para o perdedor o quadro é mais grave, pois não é novidade alguns dirigentes perderem a motivação e sumirem. A dificuldade financeira até entendemos, mas não mudar de atitude em determinadas situações, como essa que citamos,  por  exemplo, não é digno de quem se manifesta capaz de dirigir um time profissional. Que os atuais dirigentes recebam essa observação como uma crítica construtiva e, surpreendam, façam diferente e, se mantenham na linha de frente, seja qual for a situação. Em 2015 tivemos exemplos positivos e negativos neste sentido. Que em 2016 sejam apenas positivos.

HOJE?

Será que sai hoje o campeão brasileiro da Série A em 2015? Sim, pode ser hoje. E o ambiente não poderia ser melhor, joga em casa, no Itaquerão, seu torcedor lotando e, em campo, o Corinthians recebe o Coritiba. A partir das 19h30 deste sábado o Brasil poderá conhecer o seu novo campeão, quebrando a sequência de dois anos do Cruzeiro.

INTERROGAÇÃO
A verdade é que o Santa Cruz é sempre um adversário difícil, com maior dificuldades quando joga em seus domínios, no Iberezão. Mas, mesmo como visitante, merece toda atenção e respeito. Este será o primeiro desafio do Potiguar no estádio Nogueirão. Como é estreia, ninguém se conhece em termos táticos, é bom o Time Macho ficar esperto.

CASA
Três jogos, quando, no máximo poderá fazer um pequeno deslocamento, caso o Alecrim volte a mandar seus jogos no Luís Rios Bacurau, “Ninho do Periquito” em São Gonçalo. No mais, o América começará o Estadual na vantagem jogando na Arena das Dunas em Natal. Teoricamente, todos os jogos iniciais em seus domínios, perto do torcedor. Começar em casa, é sempre vantajoso. Possibilidade direta de nove pontos, apesar do clássico.

PEDREIRA
Olhando a primeira rodada do Campeonato Potiguar 2016, quem começa já tendo que encarar uma enorme pedreira é o Coríntians. O Galo deixa Caicó e viaja até Natal e, no Frasqueirão pega de primeira um dos candidatos ao título, o ABC. O alvinegro que viveu um ano ruim na festa do seu centenário, certamente vai querer arrasar no ano seguinte.

GANHANDO IMPORTÂNCIA

Pelas situações vividas por América e ABC no Campeonato Brasileiro, séries C e B, respectivamente, com campanhas ruins na avaliação geral olhando para seus resultados, creio que o Campeonato Estadual de 2016 ganhou mais em importância. Não ouvi, por exemplo, ninguém falando em acabar com a competição.
Quando os dois times iam bem na Série B, era só no que se falava entre dirigentes e coleguinhas da mídia esportiva na capital dos potiguares. Agora, para os dois, vencer o estadual passou a ser uma questão de honra para limpar um pouco a barra junto ao torcedor e, salvar sua própria imagem. Começar o ano perdendo o estadual, isso pode acontecer para os dois ou, apenas um deles, será um princípio de extrema desconfiança. Sendo assim, o Estadual estará hipervalorizado em 2016.

CAMPEÃO

Campeão da segunda divisão e, de volta à elite do estadual potiguar, o time do ASSU já começa encarando o Baraúnas em casa, no Edgarzão. Seus dirigentes que andaram dizendo que era preciso uma receita de R$ 300 mil para montar um elenco para fazer frente às equipes de Natal e Mossoró, já podem tratar de resolver o problema. Mas, pelo quadro do momento, as situações se equivalem.

ESTADUAL sendo preparado, resta saber como estará a arbitragem. O cenário nacional não é bom.
O lateral potiguar, Apodi, hoje na Chapecoense, pode jogar na Europa.
PROFESSOR Onesimar Carneiro prepara mais um Jogo Festivo com ex-atletas profissionais.
NO futuro, talvez, Neymar brigue pela “bola de ouro”. A declaração é de Cristiano Ronaldo.