Sérgio Oliveira

De cabeça erguida. Assim dizem que estão os jogadores do ABC para a partida decisiva de hoje contra o Sampaio Corrêa, na luta desesperada para se livrar do rebaixamento na Série B do Campeonato Brasileiro. Esse discurso, no entanto, não pode ficar como palavras soltas ao vento, é preciso consistência e esta só virá com uma boa vitória e, claro, mais três pontos, do contrário vão continuar falando  em  luta,  porém  sem  nenhuma batalha vencida. Até entendemos o esforço verbal dos jogadores, porém é um quadro difícil, já que o time não mostra muita qualidade para nos fazer acreditar de que é possível reverter quadro tão adverso. Mas, na base da força de vontade e persistência, quem sabe, um milagre possa acontecer, pois na situação atual, só Cristo Salva, ou como dizem também, só Jesus na causa.

SILÊNCIO

No caso do estádio Nogueirão e as dívidas trabalhistas, tudo silêncio, nenhum informe de possíveis acordos definitivos. Com isso segue a tensão, embora existam espaços para recursos e isso joga todo o processo para alguns anos adiante. Muito mais. O melhor seria as partes sentarem de forma aberta, exercitarem o diálogo e formatarem um entendimento. É assim que penso e escrevo em forma de sugestão.

CORRUPÇÃO
Lavagem e desvio de dinheiro no futebol, a mesma coisa acontecendo com o basquete, enfim, a corrupção anda impregnada no sangue e nas intenções daqueles que se colocam à disposição para administrar alguma entidade no Brasil. Digo isso tomando como base tudo que acontece nos demais setores, até nos governamentais.

SUCESSO
No esporte amador seriedade e organização na 7ª Copa Radialista Hélio Silva, no sítio Monte Alegre, no município de Governador Dix-sept Rosado. Hoje e amanhã, como mostra matéria acima, mais uma rodada. Daqui parabenizo o prefeito Anax pelo apoio e tenham certeza, arbitragem bem entregue na coordenação de Josué Araújo e o professor Francisco Gonçalves. A competição é sucesso.

CONHECIDOS
Mesmo que tenhamos por aqui treinadores vindos de outros estados, não se animem em relação a jogadores, muitos daqueles que o torcedor já conhecem estarão de volta. Alguns de boas lembranças, outros nem tanto, mas, vão voltar. Falo da dupla Potiguar e Baraúnas que pouco renovam de uma temporada para outra. É o desenho dos bastidores, espero ser surpreendido.

NOS BASTIDORES

Por enquanto, e isso é perfeitamente normal, as diretorias de Potiguar e Baraúnas seguem com suas atividades mais voltadas para providências nos bastidores. Hora de definir metas para, no passo seguinte, poderem adotar medidas concretas, tudo com visão voltada já para 2016, quando a partir de janeiro, pelo traçado feito, deverá começar o Estadual.
E começam acertando. Antes de qualquer outra medida em relação ao elenco, já discutem a contratação de seus treinadores. É importante que esse profissional trabalhe junto com a direção na hora de escolher, negociar e fechar contrato com os jogadores. Importante não atropelar etapas, principalmente quando do dinheiro é curto.

BASQUETE

Enquanto o basquete brasileiro luta na quadra por uma conquista importante, seus dirigentes fazem a farra com o dinheiro da entidade. Fala-se em R$ 15 milhões que saíram pelo ralo. Até terceirizar a Confederação Brasileira de Basquete os caras conseguiram. Meu Deus, é ladrão pra tudo quanto é lado. E, enquanto isso, trabalhadores prestes a se aposentarem, são pressionados. Essa é uma história que conto outro dia.

MESMO sem tranças coloridas, Wagner Love retorna ao ambiente dos artilheiros.
APÓS 23 anos, a Fórmula 1 retorna ao México. É uma estreia com campeão definido.
BARCELONA também entra na disputa para contratar Alexandre Pato.
A política ferve no Flamengo. Somem documentos de 900 sócios aptos a votar. Diz oposição.