Robinson para Fátima Bezerra: ‘Governo já deu até mais espaços do que o PT pediu’

O governador Robinson Faria (PSD) comentou a decisão da senadora Fátima Bezerra (PT), que entregou cargos da sua cota pessoal no Governo do Estado, sob alegação de falta de autonomia na gestão. Para o chefe do Executivo, a administração estadual já é demasiadamente generosa com o Partido dos Trabalhadores.

“Eles queriam indicar o secretário de Educação desde o começo. Fizeram votação interna e o grupo de Mineiro venceu. O meu governo já tinha dado espaços até mais do que o PT pediu. Eu não poderia dar mais, senão seria um governo entregue ao PT”, declarou Robinson, em entrevista ao Portalnoar.com, ontem, em Natal.

Robinson Faria se mostrou surpreso com posição de Fátima Bezerra e afirmou que se reunirá com a direção do Partido dos Trabalhadores para “entender melhor o que aconteceu. Vamos procurar identificar qual foi a razão, a motivação para ela entregar os cargos”, disse o governador, anteontem à noite, em entrevista na capital.

O governador, entretanto, tentou minimizar o fato. Pois a senadora, segundo ele, afirma que não rompe com o Governo. “Ela (Fátima) foi clara em dizer que não estava rompendo com o governador. Fico feliz ao saber que a senadora permanece com a intenção de continuar ajudando o Estado”, acrescentou.

ESTREMECIMENTO
A assessoria de Fátima Bezerra confirmou, anteontem, que Rodrigo Bico e Laíssa Costa pediram demissão, a pedido da senadora, da diretoria e diretoria-adjunta, respectivamente, da Fundação José Augusto (FJA), para onde foram indicados pela parlamentar. O fato foi interpretado como recado para Robinson Faria.

É que a senadora está insatisfeita com a forma que vem sendo tratada no Governo do Estado. Para pessoas próximas, queixa-se que tentam enfraquecê-la e afastá-la da administração. E justifica a estratégia a episódios públicos, como a exoneração de Socorro Batista, há um mês, da secretaria-adjunta de Educação e Cultura.

Ligada a Fátima, Batista foi demitida, coincidentemente, após contrariar a posição do Governo e defender servidores da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte – Uern, em greve há quase cinco meses. A gota, porém, pode ter sido mudança no comando da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) no Estado.

Indicado por Fátima, o superintendente da CBTU no RN, João Maria Cavalcanti, foi destituído do cargo, há cerca de um mês, após acertos do deputado federal Fábio Faria (do PSD, filho de Robinson) com o ministro das Cidades, Gilberto Kassab. Fábio indicou Leonardo Gurgel de Faria Diniz. Para azedar ainda mais, o governador concordou publicamente com a mudança, em entrevista à TV Ponta Negra, ontem.

Mineiro afirma que decisão de senadora é equivocada

O deputado estadual Fernando Mineiro (PT), líder do Governo na Assembleia Legislativa, considerou a entrega de cargos da senadora Fátima Bezerra (PT) no Governo do Estado decisão “unilateral e equivocada”, em nota publicada no Facebook, no final da manhã de ontem.

Contudo, disse respeitar o posicionamento da colega de partido. “Foi uma decisão unilateral de um grupo político interno do PT que tomou a atitude que entendeu ser a melhor para ele. Mesmo discordando, respeito a posição”, afirmou.

Mineiro, que é pré-candidato a prefeito de Natal com apoio do governador Robinson Faria (PSD), sustenta que Fátima não defendeu o rompimento do PT com o governo Robinson.
“Mesmo respeitando a posição da senadora Fátima e de seu grupo, acho-a equivocada e politicamente ruim para o governo, para o PT e para a própria senadora. Mas as definições políticas são também ditadas por legítimos interesses e posicionamentos de cada um, independente dos objetivos partidários”, comentou.