RN é o segundo estado com maior número de casos de microcefalia relacionados ao zika

O boletim epidemiológico do Ministério da Saúde (MS), divulgado ontem, revela que o Rio Grande do Norte é o segundo estado do Brasil com o maior número de casos confirmados de microcefalia causada pelo vírus zika. O estado de Sergipe lidera o número de casos desta natureza.

Conforme os dados, foram confirmados 134 casos de microcefalia relacionados ao zika vírus, sendo 51 em Sergipe, 35 no Rio Grande do Norte, 29 em Pernambuco e 19 na Paraíba.

O estado potiguar possui 140 casos notificados de microcefalia, dos quais 35 já tiveram a correlação com o vírus comprovada, outros quatro foram descartados e 101 estão em investigação. O aumento do número de casos notificados no país foi de 37% em uma semana.

Em todo o país, 2.404 notificações foram feitas de malformação. As notificações, segundo o Ministério da Saúde, já se espalham por 20 estados brasileiros e 549 municípios.

A circulação do vírus zika é confirmada por meio de teste PCR, com a tecnologia de biologia molecular. A partir da confirmação da circulação do vírus em uma determinada localidade, os outros diagnósticos são feitos clinicamente, por avaliação médica dos sintomas. Durante a apresentação dos novos dados de microcefalia, o diretor de Vigilância das Doenças Transmissíveis, Cláudio Maierovitch, disse que o Ministério da Saúde está trabalhando no fortalecimento do diagnóstico para o vírus zika.

Ele explicou que 18 laboratórios já estão capacitados, sendo 13 centrais e cinco de referência. O teste para a confirmação do vírus deve ser feito, de preferência, nos primeiros cinco dias de manifestação dos sintomas. Vale ressaltar que o vírus zika é de difícil detecção, já que cerca de 80% dos casos infectados não manifestam sinais ou sintomas.