Rio Grande do Norte tem o 10º menor PIB do Brasil

De acordo com o estudo “A dinâmica regional da economia brasileira”, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Rio Grande do Norte possui a 10ª menor participação no Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil. As riquezas do Estado corresponderam a 1% do PIB brasileiro no ano de 2013, o que representa um aumento de 0,1 ponto percentual em relação ao índice de 0,9% alcançado pelo RN no ano de 2010.

O estudo foi desenvolvido em parceria do IBGE com órgãos estaduais de estatística, secretarias estaduais de governo e a superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa). Quem encaminhou os dados referentes à participação do Rio Grande do Norte no PIB brasileiro foi o Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente (Idema).

Ainda segundo o levantamento, o Rio Grande do Norte conta a 18ª maior participação no PIB do Brasil, contando os 26 Estados e o Distrito Federal. O percentual de riquezas potiguares ficou abaixo do alcançado por estados como Pernambuco (2,6%), Ceará (com o dobro da participação do RN: 2,0%) e Maranhão (1,3%).

Se comparada a variação anual do PIB acumulado entre os anos de 2010 e 2013, o Rio Grande do Norte foi o 16º estado com maior crescimento acumulado, com índice de 10,3% de aumento nas riquezas geradas no período. Já o resultado de 4,0% de crescimento alcançado pelo RN no ano de 2013 o coloca na 9ª colocação entre os estados com melhor desempenho.

No documento disponibilizado pelo IBGE, os pesquisadores destacam que o Rio Grande do Norte, assim como a maioria dos estados da região Nordeste, apresenta um peso proporcionalmente maior nas atividades relacionadas com o turismo, como alojamento e alimentação.

Estudo sobre a economia mostra que concentração de riquezas em poucos estados persiste no país

Um dado que chama a atenção no estudo reflete as disparidades na geração de riquezas no país, pois, somados, os cinco estados com maiores participações no PIB acumulavam 65,9% das riquezas nacionais no ano de 2010 e percentual de 65,6% em 2013. Em contrapartida, dos cinco piores índices de participação no PIB, quatro são estados da região Norte e um do Nordeste.

Sozinho, o estado de São Paulo possuía 32,1% do PIB brasileiro no ano de 2013. Apesar de alto, o percentual de participação de SP no PIB nacional apresentou queda de 1,2% em relação à marca de 33,3% registrada em 2010. São Paulo perdeu participação de 3,1% na indústria de transformação nacional no período estudado.

Ocupando a segunda colocação no ranking, o Rio de Janeiro representava 11,8% de participação no PIB no ano de 2013, um aumento de 0,2% em relação ao registrado no ano de 2010, quando contribuía com percentual de 11,6%.

Em terceiro lugar vem Minas Gerais (9,2% do PIB em 2013 e percentual de 9,0% em 2010). Já a quarta e quinta posições no ranking de maiores PIBs em 2013 ficaram com o Paraná (6,3%) e o Rio Grande do Sul (6,2%), respectivamente.