Rio Grande do Norte tem 154 casos suspeitos de microcefalia distribuídos em 42 municípios

O Ministério da Saúde atualizou os dados de microcefalia relacionados à infecção pelo vírus zika. De acordo com o Boletim Epidemiológico, foram notificados 2.782 casos suspeitos da doença e 40 óbitos, até 19 de dezembro. Os casos estão distribuídos em 618 municípios de todo o país.

No Rio Grande do Norte são 154 casos suspeitos de microcefalia, em 42 municípios. Com relação ao número de mortes de bebês relacionadas à anomalia, o estado continua na liderança do ranking, ao lado da Bahia, com 10 mortes.

A investigação dos casos de microcefalia relacionados ao vírus zika é feito em conjunto com gestores de Saúde de estados e municípios. Equipes técnicas de investigação de campo do Ministério da Saúde estão trabalhando nos estados de Pernambuco, Rio Grande do Norte, Paraíba, Sergipe e Ceará.

Atualmente, a circulação do zika é confirmada por meio de teste PCR, com a tecnologia de biologia molecular. A partir da confirmação em uma determinada localidade, os outros diagnósticos são feitos clinicamente, por avaliação médica dos sintomas. O Ministério da Saúde capacitou mais 11 laboratórios públicos para realizar o diagnóstico de zika, incluindo o Rio Grande do Norte.

MOBILIZAÇÃO NACIONAL
Para a execução das ações do Plano Nacional de Enfrentamento à Microcefalia, foi instalada a Sala Nacional de Coordenação e Controle para o Enfrentamento à microcefalia. O objetivo é intensificar as ações de mobilização e combate ao mosquito Aedes aegypti. Também serão instaladas salas estaduais, que contarão com a presença de representantes do Ministério da Saúde, Secretarias de Saúde, Educação, Segurança Pública, Assistência Social, Defesa Civil e Forças Armadas.

Atualmente, estão implantadas salas em 18 unidades da Federação: Acre, Amazonas, Goiás, Mato Grosso, Paraíba, Pernambuco, Paraná, Santa Catarina, Tocantins, Rio Grande do Sul, Distrito Federal, Alagoas, Bahia, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro, Sergipe e Ceará. Outros quatro estados estão em fase de implantação da sala: Pará, Rio Grande do Norte, Minas Gerais e São Paulo. Os demais serão orientados pelo Ministério da Saúde para a implantação das salas.