Ribeira receberá a partir de domingo projeto cultural “Se essa rua fosse minha…” que visa fortalecer os vínculos com o bairro e sua história

NATAL- No domingo, 29, estreia na Ribeira, reduto histórico e boêmio de Natal, oprojeto cultural “Se essa rua fosse minha…”. A proposta da Prefeitura do Natal é a interdição de ruas do bairro, um domingo por mês, para a promoção do lazer ao natalense. O projeto-piloto idealizado pela Secretaria de Meio Ambiente e Urbanismo (Semurb) e pelo Grupo para Projetos Estruturantes da Ribeira e Entorno (Coopere) busca fortalecer os vínculos com a Ribeira e movimentá-la com ações coletivas junto à comunidade.

A primeira edição do “Se essa rua fosse minha…” será realizada numa das faixas da Av. Duque de Caixas, entre o Teatro Alberto Maranhão e a Av. Gustavo Cordeiro de Farias. O quadrilátero lateral do teatro será bloqueado para a passagem de carros, a partir das 15h até as 21h, para a prática de caminhada, patinação, ciclismo e skatismo.

Além disso, o público presente poderá participar de minicircuito histórico, apreciar a mostra fotográfica Natal Cidade Memória e uma exposição de carros antigos. E ainda se deliciar com a gastronomia dos foodtrucks, na praça de alimentação que será montada na praça Augusto Severo. Outras ações previstas são apresentações artísticas e culturais, serviços de saúde, oficinas de beleza da Mary Kay, feirinha de artesanato, corte de cabelo masculino, avaliação física (massa e estatura corporal), ginástica laboral, aulas de zumba e outros ritmos.

De acordo com a secretária adjunta de Planejamento da Semurb, Floresia Pessoa, a ideia do “Se essa rua fosse minha…” é dar visibilidade à Ribeira, despertando novamente nos natalenses o sentimento de pertencimento, e assim fortalecer os vínculos com o bairro e sua história. “Esperamos que a população natalense se identifique com o projeto, que busca essa reaproximação com a história da cidade, resgatando suas raízes”, diz.

Ainda segundo a secretária, para o lançamento foi escolhida a Av. Duque de Caxias como foco das ações por acolher ao longo de sua extensão prédios históricos e de relevância cultural, o que vai permitir a execução das atividades do projeto. Ela revela também que a equipe de técnicos da Semurb vai estar no local com um canal de comunicação, onde a população será ouvida com sugestões visando o processo de reabilitação do bairro.

Participam do projeto as secretarias municipais de Saúde (SMS), de Mobilidade Urbana (STTU), de Serviços Urbanos (Semsur), de Assistência Social (Semtas), de Administração (Semad), de Turismo (Setur), de Governo (SMG) e de Projetos Estruturantes (Seharpe). Além da Urbana, Funcarte e Guarda Municipal. E apoiam a realização do projeto o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Associação Comercial, Clube de Carros Antigos do RN, Núcleo de Avaliação Física (Narf) da UnP, Sindicato da Indústrias da Construção Civil do RN (Sinduscon) e Grupo Reviver.