REMINISCÊNCIAS: SEU CHICO PORTO

Wilson Bezerra de Moura

Todos o tratavam assim, por seu Chico Porto, homem solícito, tratável, passadas lentas e comedidas, a todos indistintamente atendia com precisão, respeitoso no modo de falar com todas as pessoas, mesmo que não fossem amigas.

Apesar de não ser filho da terra de Santa Luzia, ele veio logo moço para procurar sobrevivência, aqui ficou e encontrou como sobreviver na terra que o acolheu até o último dia de vida, dando-lhe não só condições como família.

Vindo da vizinha cidade de Irerê, do Estado de Ceará, nascido aos 11 dias do mês de fevereiro de 1909, filho de Antônio Florentino de Queiroz e Maria de Queiroz Porto, veio para Mossoró pelo ano de 1935, em busca de novos horizontes.

Iniciou suas atividades na nova terra em princípio nos estudos, depois exerceu as atividades profissionais como contínuo da empresa importadora e exportadora de algodão, a maior de todo nordeste, depois passou a balconista, viajante comercial, chefe de secção de compras, supervisor, gerente comercial até se aposentar.

Seu Chico teve passagem em outras atividades afora a empresarial. Foi prefeito na cidade de Tabuleiro Grande, onde desfrutou de significativo prestígio social e político, se elegendo por duas vezes como mandatário dessa região, naturalmente extraindo dessa passagem condições de melhor desempenhar suas atividades empresariais.

Participou do movimento em defesa da cidade no combate ao banditismo de Lampião na trincheira instalada na empresa S/A Mercantil Tertuliano Fernandes, no próprio local em que trabalhava, numa prova evidente de seu fiel desempenho como funcionário zeloso por sua firma, da qual tirava o seu sustento.

Na vida familiar seu Chico Porto teve em primeiras núpcias dona Maria Alice Maia Porto, nada existindo de filhos, porém teve dedicada atenção aos familiares, dando a cada um instruções adequadas, capazes de sustentá-los na vida futura.

Nas segundas núpcias seu Chico Porto matrimoniou-se com dona Maria do Carmo Fernandes Porto, deixando cinco filhos, os criando na forma ideal ao progresso de cada uma deles.

Tudo quanto nos revelaram os dados escritos no arquivo de Raibrito, que entendemos ser suficiente para compreender a figura nobre que passou décadas entre nós e deixou sua parcela de contribuição, ideal ao pleno progresso e sucessos de cada pessoa de bem que  o seguiu na batalha de um ideal formador de personalidades humana.