REMINISCÊNCIAS: PRIMEIRO CURSO DE JORNALISMO DO RN

Wilson Bezerra de Moura

Natal, capital do Rio Grande do Norte, sediou um dos acontecimentos importantes na comunicação publicitária em décadas passadas, tendo como espaço para atuação das aulas o auditório da antiga Escola Doméstica, na Ribeira.

A responsabilidade na realização do primeiro curso de jornalismo no Estado do Rio Grande do Norte, bem assim os cursos de publicidade e de Linotipia, esteve a cargo do jornal Tribuna do Norte, e as razões foram fundamentadas na formação de nova geração de jornalistas, a partir dai com destacada participação no mundo da comunicação.

Como já dissemos, o curso de jornalismo foi peça vestibular no mundo da difusão e sua abertura ficou a cargo do deputado federal Aluízio Alves, que também era jornalista atuante e trouxe para compor o esquema na abertura inaugural do curso o então jornalista Carlos Lacerda, que fez na abertura solene uma palestra sobre a MISSÃO DA IMPRENSA E DO RÁDIO.

Finalmente, um momento de significava importância para o natalense, que deu o pontapé inicial do estudo da imprensa norte-rio-grandense, na presença de muitas autoridades, entre estas o governador Dinarte de Medeiros Mariz, que se fez representar pelo doutor Tarcísio de Vasconcelos Maia, secretário de Educação.

Abriu-se na ocasião da abertura uma fase de estudo num período de 28 de janeiro a oito de fevereiro de 1957, evidenciando-se inúmeras palestras proferidas por excelentes profissionais da área de comunicação.

Além do jornalista Carlos Lacerda, outras figuras catedráticas ligadas ao jornalismo da Faculdade de Filosofia do Rio de janeiro, Hermano Alves, diretor da Folha de S. Paulo, abrilhantaram o momento. De Natal tiveram ampla participação os jornalistas Oto Guerra, Edgar Barbosa, Ticiano Duarte, Woden Madruga, Geraldo Melo, que depois foi governador, Aluízio Rodrigues e tantos outros na época.

Assim o curso teve funcionamento ininterrupto em dois expedientes, onde se matricularam 112 homens e 26 mulheres, com disposição de aproveitar os ensinamentos ministrados.

A premiação aos alunos mediante recompensas ocorreu após a banca examinadora nominar a avaliação, cuja presidência esteve a cargo do jornalista Hermano Alves, cujo prêmio foi a concessão de estágio na Tribuna da Imprensa e Rádio Mayrink Veiga, no Rio de Janeiro, e Folha de S. Paulo, Rádio Record, em São Paulo.

Outras compensações foram prendadas com contrato de trabalho na Tribuna do Norte e Radio Nordeste.