REMINISCÊNCIAS: ESTRADA DE FERRO MOSSORÓ-SOUZA

Wilson Bezerra e Moura

Nasceu em Mossoró, fruto de um ideal, idos de 1915, e morreu na mesma cidade, idos da década de 80, por desengano de uma elite capitalistas desprezível.

O sonho dos mossoroenses, que se apegaram à ideia de criar uma linha férrea que ligasse o Porto Franco, distante de Mossoró 37 quilômetros, aproximadamente, e a linha tivesse o destino de São Francisco, especialmente para exportação de produtos da terra, sal, algodão e outros da região.

Empresários, comerciantes, políticos e a classe produtiva se interessaram e apressaram-se em Memorial ao imperador, daí partindo a realização do propósito em parcelas de construção na conformidade do tempo.

Conta a história dos primeiros instantes ferroviários em Porto Franco, a ocorrência de um  acidente com uma locomotiva que manobrava no pátio da estação, atingido uma pessoa, por sinal parente de um funcionário.

Antigamente tudo era difícil. A pessoa foi conduzida em um Trole, meio de transporte ferroviário pequeno e atendida em Mossoró, na Farmácia Rosado, pelos médicos Soares Júnior, Rosado Filho e Rafael Fernandes, tudo transcorrido com sucesso.

A principal ideia era uma estrada de ferro que atingisse o Rio São Francisco, terras sergipanas, além da evasão dos produtos da terra, entre estes o sal, o algodão, e resolver o problema da falta d’água, produto escasso na região por causa das grandes secas.

Os suplicantes do grande sonho tiveram momentos alegres e de tristeza. Uma das alegrias foi quando da chegada, no ano de 1934, de um vapor “ARACAJÚ”, pertencente à empresa Lloyd Brasileiro, trazendo os trilhos ferroviários para cobrir a construção do trecho até MUMBAÇA, município de Martins.

Já aí, na construção desse trecho de Mombaça, vivenciamos outras localidades, partindo de Governador Dix-sept Rosado, vencendo degrau a degrau até Sousa, na Paraíba, cruzando com os ramais da Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Ceará, viveu essa ferrovia até os dias do ano de 1980, chegando a um fim que jamais esperávamos: fechar um trecho com vários quilômetros de extensão, num desrespeito aos velhos ideais e sonhos dos benfazejos da terra de Santa Luzia.