REMINISCÊNCIAS – CHICO BORREGO, BOA GRAÇA

Wilson Bezerra de Moura

Mossoró sempre foi uma cidade polo, a região promissora, atrativa nos diferentes aspectos da sociedade, social, política e econômica, tanto assim que sempre recebeu a visita de emigrantes em busca da exploração comercial em suas terras.

Na vida social abrigou pessoas de excelentes qualidades. Muitas vieram de passagem e resolveram ficar, assim como aconteceu com Chico Borrego, que veio de sua cidade natal, Martins, e aqui ficou e se identificou com todos os mossoroenses.

Francisco Borrego de Miranda, conhecido apenas por Borrego, era um homem aceitável por todos, bom profissional, motorista eficiente. Quando um empresário de Mossoró queria viajar por esse País afora ou até mesmo exterior ele era o preferido, a quem ele entregava o carro com toda confiança.

Sempre alegre, contando suas piadas que todos gostavam. Ele mesmo usava de certas estratégias que não aborrecia ninguém. A própria mulher dele, quando descobria a astúcia de Chico Borrego, achava era graça, como aconteceu uma das vezes com eles.

Mais ou menos assim. Chico Borrego se envolveu numa farra que varou a madrugada. Quando ele acaba de entrar em casa o sino da igreja estava anunciando o começo da missa, quando ele se senta para tirar as meias porque o sapato ele já havia tirado ao entrar em casa, para não acordar a mulher, exatamente nesse momento a mulher acorda e diz:

– Isso é hora de chegar?

Prontamente ele responde,

– O que mulher?

Estou me arrumando para ir à missa, você não vai comigo não?

Largou-se Chico Borrego para a Igreja e só foi dormir seu sono da noite quando retornou da igreja.

Morreu acidentalmente, quando trafega pela Avenida Felipe Camarão. Um carro que o ultrapassava, a porte abriu-se e o jogou lá fora da pista.

Mesmo socorrido por populares, morreu ao dar entrada no hospital, deixando mulher e dois filhos, cada qual o melhor.  O rapaz com suas características, excelente, com as mesmas piadas e bem aceito na sociedade por todos.

Para quem se lembra, ainda hoje recorre das boas piadas de Chico Borrego.

Descanse em Paz.