Equipes trabalham na limpeza do mato, balizamento e renovação da cerca ao redor da pista de voo (Foto: Luciano Lellys).

Reforma do aeroporto deve ser concluída até o dia 20 de junho

Com a proximidade do prazo final para a conclusão dos reparos na área da pista de pouso e decolagem do Aeroporto Dix-Sept Rosado, as equipes de trabalho foram reforçadas. A limpeza do mato, balizamento da pista e colocação da cerca devem ser concluídas até o dia 20 de junho.

“Tivemos algumas dificuldades porque alguns serviços necessários estavam faltando no projeto de reforma apresentado pela empresa, mas conseguimos fazer com que eles também fossem executados. Agora falta só 30% do serviço da cerca, 20% da limpeza do mato e 50% do balizamento”, informa o supervisor administrativo e de segurança operacional do aeroporto, José Diomar Freire.

Após a conclusão dos serviços, o aeroporto deverá passar por uma nova vistoria a fim de ter os voos diurnos liberados. No entanto, Diomar Freire conta que tem buscado concluir reparos necessários e colocar em funcionamento equipamentos que o aeroporto já possui para que vôos noturnos também voltem a operar no local.

“O aeroporto já dispõe de equipamentos como o farol de aeródromo, que é um auxílio visual de longo alcance que facilita ao piloto localizar o aeroporto, mas ainda não temos a permissão para ele funcionar. Estamos buscando com a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) a liberação do uso deste equipamento”, explica.

O aeroporto possui ainda aparelhos como o NDB e o DVOR, que fornece as informações de aeronavegabilidade aos pilotos.

A pista de pouso do Aeroporto Dix-Sept Rosado possui dois quilômetros de extensão e 30 metros de largura, o que, exemplifica Diomar Freire, possibilita que o aeródromo receba aviões como o Boeing 737, com capacidade para 187 passageiros. Entretanto, a área de embarque do aeroporto ainda é muito pequena para este volume de pessoas.

“A licitação para reforma da área de embarque do aeroporto foi aberta na semana passada. Por enquanto estão sendo licitados apenas a limpeza, alguns reparos e a construção da brigada de incêndio, mas, no futuro já com o aeroporto funcionando, esperamos ampliar a capacidade de recepção de passageiros”, conta o supervisor.